Capitão Nelson vai rever orçamento para construção de museus religiosos após denúncia

Após ser denunciado pelo deputado estadual Átila Nunes (MDB) por preconceito religioso e improbidade administrativa, o prefeito de São Gonçalo, Capitão Nelson, vai rever a previsão orçamentária destinada ao apoio da construção de museus religiosos no município. O anúncio foi pela Prefeitura de São Gonçalo após o caso parar no Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).

Capitão Nelson foi denunciado pelo deputado por uma diferença exorbitante no planejamento de verba para construção de diferentes museus religiosos. Para o Museu da Umbanda teria sido destinado R$ 10 mil reais enquanto para o Museu Católico e para o Museu Gospel, foram disponibilizados R$ 1 milhão para cada.

O deputado Átila, que é relator da CPI da Intolerância Religiosa no Rio, chamou a verba como ridícula e disse que vai pedir a condenação do prefeito de São Gonçalo.

A Prefeitura esclareceu em nota que a previsão destinada ao Museu da Umbanda, culto afro-brasileiro que nasceu em São Gonçalo há 113 anos, mais precisamente no bairro de Neves, não condiz com a importância histórica e cultural da religião. A Prefeitura lembra que o valor é uma previsão e que não irá construir nenhum museu religioso, mas sim apoiar iniciativas da sociedade civil que desejam construir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.