Canhotinha de Ouro está de volta ao Canto do Rio

Wellington Serrano –

São 61 anos desde o dia em que Gerson de Oliveira Nunes, o Canhotinha de Ouro, deixou o Cantusca, onde iniciou a carreira em 1953, para ganhar o mundo através do futebol. Saiu dos gramados do Canto do Rio Foot-Ball Club para passar defender as camisas do Flamengo, Fluminense, Botafogo, São Paulo e Seleção Brasileira, onde foi campeão da Copa do Mundo de 1970, considerado o mais belo mundial de todos os tempos.

Depois de muito tempo desde sua última passagem no Canto do Rio, o Canhotinha voltou às suas origens e reestreou no futebol profissional como conselheiro Gestor do Futebol do Cantusca. Com a função dentre outras de auxiliar a estabilização do futebol do Canto do Rio, seja intermediando o contato com diferentes esferas públicas ou privadas, ou aconselhando os jogadores, comissão técnica e diretoria quanto ao desempenho de suas atividades, Gerson tem tido um contato bem próximo do time. Quando pode estar presente nos jogos, faz a preleção com os jogadores, acompanhado do técnico. Quando não pode estar, envia suas considerações através de vídeos.

Segundo ele, o conselho gestor faz parte de um novo modelo de gestão, nos moldes do adotado pelo Real Madrid.

“O clube está dando um importante passo rumo à modernidade sem abandonar as raízes”, disse ele ao relembrar sua história com o clube e como tudo começou em sua carreira esportiva.

“A minha vida começou no Canto do Rio, já entrei aqui na barriga da minha mãe. Depois eu fui infantil, fraldinha, dente-de-leite, jogando futebol de salão. Cheguei a fazer atletismo e depois fui pro futebol de campo. Fomos campeões do Niteroiense, Pontariense, Vianense, Ipiranga, pelo Canto do Rio. Aqui sempre foi minha casa”, contou o craque.

1 - foto estreia Gerson no cantusca

Gérson vinha de uma família toda envolvida com o futebol e começa a treinar no Canto do Rio em 1953, quando tinha apenas 12 anos de idade. O canhota ficou no clube até 1957, quando foi convidado para compor o time do Flamengo.

“Na época o Canto do Rio era convidado a jogar o Campeonato do Guanabara. Fizemos um preliminar contra o Flamengo, perdemos de 5 a 2 e eu fiz os dois gols do Canto do Rio. Depois do jogo eu fui chamado pelo Bria, técnico do Flamengo, para jogar lá”, lembrou.

Depois disso a carreira do canhotinha deslanchou, jogando ainda no Fluminense, Botafogo, São Paulo e na Seleção Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *