Candidatos debatem propostas para o comércio de Niterói

Marcelo Macedo Soares –

Foi realizado na manhã de ontem, na sede da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL-Niterói), o segundo e último encontro promovido pela entidade com candidatos a deputado estadual e federal. Seis postulantes a uma vaga na Câmara dos Deputados participaram do fórum: Jorge Rojas (Novo), Ivania Martins (DEM), Daniel Marques (PV), Felício Laterça (PSL) e os vereadores Paulo Eduardo Gomes (PSOL) e Carlos Jordy (PSL).

Comandado pelo presidente da CDL, Luiz Vieira, o encontro serviu para que os candidatos apresentassem suas propostas para o setor de comércio e varejo de Niterói. Vieira destacou o difícil momento político atual e ressaltou a importância do encontro para os empresários da cidade.

“Atravessamos um momento político muito complicado, uma eleição difícil, onde o eleitor está muito descrente. Daí a importância de realizarmos este fórum para conhecer melhor as propostas para nosso setor daqueles que pretendem representar Niterói seja na Alerj ou na Câmara”, afirmou.

Cada candidato respondeu a uma série de perguntas previamente repassadas com temas voltados ao empresariado niteroiense. A primeira pergunta foi sobre como cada um pretende incentivar o setor de comércio e serviços locais.
Para o delegado da Polícia Federal Felício Laterça é fundamental que os deputados federais fiscalizem os problemas da cidade.

“Niterói vive hoje um verdadeiro caos no que diz respeito à segurança pública e mobilidade urbana. Com isso o comércio não avança. É preciso dar garantias para que os lojistas possam trabalhar tranquilos”, disse.

Ivania Martins, que é servidora pública municipal há mais de 20 anos, defende que as fiscalizações sejam mais educativas e menos punitivas. “Não adianta só multar. É preciso educar e ensinar os comerciantes a forma correta de agir. É necessário também que haja menos burocracia para os lojistas terem mais tranquilidade”, destacou.

Rojas, oficial da reserva da Marinha e advogado, ressaltou que Niterói está profundamente ligada à indústria marítima e que é preciso incentivar esta vocação.

“Existe o decreto 1265/94 que estabelece a criação de uma Política Marítima Nacional. É preciso fiscalizar e se fazer cumprir o que está escrito neste decreto. Niterói é extremamente ligada a este setor, que precisa ser retomado e incentivado”, salientou.

Já Carlos Jordy pretende, caso eleito, trabalhar forte para mudar a carga tributária, absurdamente alta, segundo ele.

“Nossa intenção, caso eleito, é mudar a carga tributária. Da forma que é, prejudica muito os empresários, que são os maiores empregadores da economia. Também é preciso fortalecer o crédito às pequenas empresas”, prometeu.

Daniel Marques, ex-titular da pasta de Meio Ambiente em Niterói, destacou o problema da segurança pública, sobretudo o crescente roubo de cargas na Região Metropolitana.

“Hoje a carga é roubada antes mesmo de chegar a seu destino. A segurança pública é hoje um dos problemas mais sérios enfrentados pelo comércio. E isso acaba afetando profundamente a economia. É preciso dar garantias”, afirmou.

O segundo tema foi sobre a carga tributária e todos os candidatos foram unânimes em afirmar que é preciso reduzi-la e dar garantias para os empresários, e trabalhar para que as reformas política e tributária sejam discutidas e aprovadas com mudanças para garantir melhorias para o setor.

Com relação ao incentivo a pequenas empresas e microempreendedores individuais, os candidatos também apresentaram opiniões parecidas. Para Ivania, é preciso diminuir os impostos. Rojas disse que é preciso desburocratizar e simplificar a vida de quem deseja empreender. Daniel Marques disse que existe no Congresso um projeto para dar incentivo a empresas de tecnologia e startups, mas que a proposta está parada.

Na questão sobre a Lei Trabalhista, os pensamentos de todos também são bem parecidos. Para Laterça, a Justiça do Trabalho é extremamente protecionista e as reformas trabalhistas e tributárias são fundamentais. Paulo Eduardo Gomes citou o caso específico de Niterói, onde, segundo ele, por falta de planejamento e nenhum incentivo por parta da Prefeitura, vários comerciantes fecharam as portas na Região Oceânica por conta das obras da Transoceânica. Carlos Jordy disse que a CLT é ultrapassada e que é preciso modernizar as leis.

Tema bastante recorrente, o déficit da Previdência também foi abordado durante o encontro. Na opinião de Daniel Marques, é preciso uma discussão ampla, realizar auditorias completas na Previdência e “abrir a caixa-preta”. Carlos Jordy disse que é a favor da Reforma da Previdência, mas “não da forma como foi apresentada pelo presidente Michel Temer”. Ivania voltou a defender a abertura de linhas de crédito para que os empresários possam “arcar com suas obrigações com dignidade”.

O fortalecimento da indústria naval e o incentivo ao turismo também foram debatidos e todos os participantes explicaram a necessidade de Niterói avançar nos dois segmentos, já que é uma cidade com grande vocação nos dois setores. Assim como no encontro com os candidatos a deputados estaduais, ao final do evento todos assinaram uma carta compromisso garantindo viabilizar melhorias e atender a demanda do empresariado niteroiense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *