Candidatos a prefeito de São Gonçalo cumprem agendas extensas pela cidade

O dia foi longo para o Capitão Nelson (Avante), cuja campanha começou cedo e esticou noite adentro da terça-feira (6). Após gravar programas eleitorais de manhã no bairro do Rocha e atender a população em seu comitê à tarde na Rua Alzira Vargas, em Vista Alegre, o candidato a prefeito participou de reuniões em diferentes bairros à noite, incluindo o Boaçu, onde se encontrou com moradores e apoiadores na Rua Alfredo Bahiense, de lá seguindo ainda para a Rua Expedicionário Ari Rauen, no Colubandê, em que expôs suas propostas e ouviu sugestões do público presente.

Capitão Nelson – FOTO Maria Costa

O prefeito José Luiz Nanci (Cidadania), candidato à reeleição pela coligação “Melhor o certo do que o duvidoso”, voltou a gravar mais um programa eleitoral, antes de seguir para o batente diário na Prefeitura. À noite, reuniu-se com lideranças comunitárias nos bairros do Mutuá, Trindade e Zé Garoto.

“Estamos adiantando os nossos programas de TV e rádio, pois a partir da próxima semana queremos intensificar as nossas caminhadas, mostrando à população tudo o que fizemos nestes últimos três anos e meio”, explicou ele, que na gravação abordou seus projetos para crianças, idosos, mulheres e pessoas com deficiência.

“O Centro de Referência, vinculado à Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Idoso, Mulher e Pessoa com Deficiência, funciona como ponte de atendimento em casos de violência, violação de direitos e assistência jurídica para esses públicos. A equipe técnica especializada é formada por assistentes sociais, psicólogos e educadores sociais”, relatou.

Dimas Gadelha (PT) caminhou acompanhado do vice, Marlos Costa (PDT) e de candidatos dos partidos PDT, PDT, PROS, Rede e Podemos, da sua coligação “São Gonçalo pode mais”, partindo da Praça Zé Garoto até o Centro. Eles conversaram com populares e comerciantes, explicando como funcionará a moeda social Tamoio, que pretendem criar, inspirados na moeda Mumbuca, de Maricá, caso sejam eleitos.

“O objetivo é atender famílias de baixa renda com um valor em crédito para consumo na cidade, onde estará a rede de estabelecimentos que aceitarão o cartão. Isso fortalecerá a economia local, assim como garantiu em Maricá uma movimentação econômica mesmo neste período de pandemia” prometeu Dimas.

Dimas Gadelha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =