Cancêr de mama acomete 1% dos homens

Raquel Morais –

No último dia 28 a área externa do Teatro Popular, no Centro de Niterói, virou palco de um desfile em prol do Outubro Rosa, mês em que se discutiu o câncer de mama. O evento emocionou os ‘artistas’ e o público que assistiu o movimento, principalmente no final, em que um homem que desfilou resolveu tirar a blusa e mostrar, com orgulho, a cicatriz, resultado da mastectomia que fora submetido durante o tratamento de um câncer de mama. O ato de liberdade chamou atenção para o perigo da doença também nos homens, que compreende 1% dos casos da doença.

O fisioterapeuta oncológico Paulo Gonçalves é o organizador da campanha Outubro Rosa em Niterói desde 2012 e explicou a importância do evento para os pacientes que ainda estão em tratamento e para quem já terminou o processo. “Hoje eu vejo que nesses sete anos falamos a palavra câncer sem medo. Hoje o câncer de mama tem nome e sobrenome, pois existem vários subtipos de câncer de mama e eu me sinto cada vez mais determinado a salvar vidas, salvar famílias pois sempre falo que o câncer não acomete só o paciente, mas toda a família e amigos que o cercam”, explicou.

De acordo com o oncologista Daniel Gimenes, assim como as mulheres, homens apresentam glândulas mamárias. Apesar da baixa incidência, o câncer de mama masculino representa 1% de todos os casos diagnosticados, e a taxa de mortalidade entre os homens é alta.
“Ainda há um mito de que apenas mulheres desenvolvem câncer de mama. Por isso, o alerta para os homens é que adiante de qualquer mudança suspeita na região mamária, procurarem um especialista para que seja possível o diagnóstico precoce e tratamento adequado”, avaliou o especialista.

Foi justamente o que aconteceu com George Santos Gomes, de 54 anos, que percebeu um nódulo na mama direita e teve que passar por todos os processos clínicos até receber o diagnóstico. “A mastologista me encaminhou ao oncologista, onde iniciei o meu tratamento quimioterápico e tive que retirar a mama. Agora faço o tratamento de hormonioterapia por cinco anos. Fiquei muito feliz por poder mostrar e alertar outros homens que o câncer existe e tem cura. É muito bom saber que posso de alguma formar ajudar outras pessoas. Sou muito grato a Deus e minha família”, pontuou.

A médica oncologista e professora da pós-graduação do curso de mastologista na PUC-RJ, Sabrina Rossi Perez Chagas também reforçou a importância do diagnóstico precoce nos homens. Seu pai, também mastologista, teve a doença. “Quando descoberto logo no início as chances são maiores, por isso é tão importante homens e mulheres se cuidarem com frequência. Quando falamos de saúde não é só o acompanhamento médico, mas também a realização de atividades físicas diariamente, uma alimentação balanceada com o consumo de frutas e verduras, evitar o álcool e não fumar. É importante que as pessoas procurem o médico o mais rápido possível caso observe qualquer alteração na mama, mas isso não significa que será câncer”, finalizou.

NOVEMBRO AZUL
O penúltimo mês do ano chama a atenção para o câncer de próstata através da campanha nacional ‘Novembro Azul’. De acordo com o Ministério da Saúde, o câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa da morte de quase 29% da população masculina, que desenvolve neoplasias malignas. Dados do Instituto Nacional do Câncer apontam que um homem morre a cada 38 minutos devido a esse tipo de doença no Brasil.

“É fundamental explicar claramente todas as opções para o paciente e a sua família. No caso de câncer de próstata, por exemplo, pode ter um grande componente genético, então é preciso ter um histórico familiar detalhado de câncer. Alguns pacientes nem sempre se sentem confortáveis em revelar seus sintomas ou medos do tratamento, daí a importância da família comparecer as consultas”, explicou o urologista Neal Shore, diretor do Centro Nacional de Pesquisa em Urologia do Século 21, na Carolina do Sul (EUA), em coletiva no Brasil sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + sete =