Campanha de vacinação é prorrogada até 15 de setembro

Raquel Morais –

A Campanha de Vacinação Contra a Poliomielite e o Sarampo foi prorrogada até 15 de setembro em todo o Estado. Dados do Ministério da Saúde apontam que o Estado está com o menor índice de imunização entre 12 que ainda estão abaixo da média nacional. A meta do Governo Federal é imunizar 11,2 milhões de crianças e atingir o marco de 95% de cobertura, mas o Rio de Janeiro está com a taxa de cobertura de 55,5% contra o sarampo e de 54,6% contra a polio.

Na Policlínica Regional Carlos Antônio da Silva, no Centro de Niterói, a psicóloga Aline Rodrigues, de 30 anos, levou seu filho para tomar a vacina na manhã de ontem. “Eu deixei para última hora para vacinar meu filho e tudo aconteceu bem. Fiquei no máximo quinze minutos na fila de espera”, comentou.

A empresária Elisabete Neves, de 38 anos, também levou o filho, o pequeno Pietro, de 4 anos, para reforçar a imunização. “Acho importante essa campanha e todo mundo deveria fazer o mesmo com as crianças da família”, pontuou.
A Fundação Municipal de Saúde de Niterói informou que, do início da campanha até quarta-feira, foram aplicadas 12.114 doses contra poliomielite, o que corresponde a 60,40% do público alvo, e 11.540 doses da tríplice (sarampo, rubéola e caxumba) viral, 57,54% do público alvo. A meta do município é imunizar aproximadamente 25 mil crianças. Já em São Gonçalo, até o dia 24 foram aplicadas 20.198 vacinas contra polio, ou 43,5% da cobertura, e 19.838 contra sarampo, ou 42,7%.

Crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos devem ser levadas aos postos de saúde para receber a dose contra a pólio e também contra o sarampo. No caso da pólio, crianças que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida devem receber a VIP. As que já tomaram uma ou mais doses devem receber a VOP. E, para o sarampo, todas devem receber uma dose da tríplice viral (protege contra sarampo, rubéola e caxumba), desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

“Esses 12 estados precisam intensificar suas ações de vacinação para alcançar a meta da campanha, de vacinar 95% do público-alvo. É por meio da vacinação que vamos impedir que doenças já eliminadas retornem ao Brasil. É preciso que os gestores de saúde, bem como pais e responsáveis, se conscientizem da importância da vacinação contra essas doenças”, pontuou Gilberto Occhi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 10 =