Caminhões que causaram acidente na Ponte, circulavam em horário proibido

O acidente que deixou duas pessoas gravemente feridas na manhã de hoje (5) na Ponte Rio-Niterói, foi causado por dois caminhões que circulavam em horário não permitido para esse tipo de veículo atravessar. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que é responsável pela fiscalização da passagem dos veículos, disse que está analisando as imagens das câmeras.

Caminhões com dois eixos não podem trafegar das 4h às 10h nos dias úteis. Já os veículos de cargas com três ou mais eixos podem passar na Ponte todos os dias, exceto das 4h ao meio dia.

Em nota, a PRF informou que os caminhões que passam em horário proibido são autuados pelas imagens das câmeras de vídeomonitoramento. “Quando acessam a Ponte (sentido Niterói), não há como retornar. No sentido Rio tem um retorno operacional logo após o pedágio, mas no sentido oposto não há retorno. A PRF realiza quase mil autos infrações desta modalidade por ano na ponte Rio-Niterói. A PRF, junto com a Ecoponte, realiza o monitoramento da via 24 horas e tomará as medidas cabíveis no caso”, disse.

Na rede social esse tipo de relato era comum. A professora Suzane Menengatti, estava levando o pai para fazer um exame no Rio de Janeiro e, além de perder o horário, ele ainda passou por um constrangimento.

“Liberaram as pistas próximo das 10h o exame do meu pai era às 8h30. Ele ia fazer um exame para avaliar a funcionalidade dos rins. Ele tomou alguns remédios e acabou se urinando no carro devido as várias horas que ficamos aguardando para sair dali”, conta.

O contador Giancarlo Damasceno, de 37 anos, ficou seis horas na ponte. No meio do acidente, seu carro enguiçou e após a pista ser liberada, ele precisou aguardar o reboque.

“Foi horrível. Ficamos ali parados durante umas três horas até liberarem a pista. E depois eu não consegui sair porque meu carro não queria ligar. Tive que esperar mais três horas para ser socorrido por um reboque da ponte porque eram muitos carros na mesma situação e a Ecoponte não estava dando conta de atender todo mundo”, relata.

Acidente – Dois caminhões e cinco carros de passeio se envolveram em um engavetamento na altura da Grande Reta por volta das 6h30. O motorista e o ajudante de um dos caminhões, que transportava água mineral, ficaram feridos gravemente. Identificado como Bruno Rodrigues Bittencourt, ele foi retirado pelos bombeiros das ferragens e levado, para o Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói. A outra vítima, identificada como Daniel Santana, foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo.

De acordo com a direção dos dois hospitais, as duas vítimas estão em estado grave, porém estáveis.

No momento do acidente o trânsito refletiu em diversas vias da cidade de Niterói.

A empresa municipal de trânsito de Niterói, a NitTrans, informou que as principais vias de acesso à ponte apresentaram congestionamentos ao longo de toda a manhã. O trânsito ficou lento principalmente na Alameda São Boaventura, no Fonseca, e na Avenida do Contorno, no Barreto, ambas na Zona Norte. Também foi registrado congestionamento nas avenidas Quintino Bocaiuva, em São Francisco, e Roberto Silveira, em Icaraí, na Zona Sul.

Quem precisava chegar ao trabalho e não conseguiu atravessar a ponte, usou as barcas como opção. A CCR Barcas registrou um crescimento de 98% na demanda da linha Arariboia (Rio-Niterói-Rio) até as 11h. De acordo com a concessionária, para o atendimento foi reforçada a operação e as viagens aconteciam de 15 em 15 minutos, em vez de 30 em 30.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 1 =