Câmara terá CPI para discutir segurança pública

Wellington Serrano –

Agora é oficial. Com sete assinaturas o vereador Sandro Araújo (PPS) protocolou ontem (27) à tarde na Câmara Municipal de Niterói um requerimento para a criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), com a finalidade de investigar e apurar possíveis irregularidades no funcionamento das empresas privadas de monitoramento, vigilância e segurança que prestam serviços no município.

O ofício requerendo a CPI, endereçado à Mesa Diretora, foi assinado pelos vereadores Sandro Araújo, Leonardo Giordano (PCdoB), Renatinho da Oficina (PTB), Bruno Lessa (PSDB), Carlos Jordy (PSC), Taliria Petrone e Paulo Eduardo Gomes (ambos do PSol).

O pedido será lido em plenário na próxima reunião ordinária, convocada para hoje. O prazo inicial requerido para a realização dos trabalhos da CPI é de 120 dias.

Em sua justificativa, o vereador afirma que vai analisar as denúncias de moradores que sofreram com assaltos na Zona Sul de Niterói.

“Chegou ao meu conhecimento que durante a intensa onda de assaltos a bares e restaurantes por homens armados com fuzis pessoas vinculadas a empresa de segurança passaram a oferecer seus serviços a empresários e associações de moradores dos bairros afetados”, disse Araújo no documento.

O vereador Paulo Eduardo Gomes disse que assinou o requerimento.

“Precisamos saber que empresas são regularizadas e monitoradas pela Polícia Federal e aquelas que vendem serviços de segurança sem ter autorização para tal. Sandro Araújo afirma ter convicção de que há milícia em Niterói. Então, isto precisa ser apurado”, concluiu.

O vereador Renatinho da Oficina confirmou que assinou, mas preferiu não falar sobre o assunto. Carlos Jordy também foi procurado, mas ficou em silêncio, assim como Talíria, Leonardo e Bruno Lessa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *