Câmara de Niterói vai apurar caso de vereador que posou com arma

Uma foto do vereador bolsonarista recém-eleito Douglas Gomes (PTC) com o deputado federal Carlos Jordy dentro da Câmara Municipal de Niterói chamou atenção e gerou grande polêmica por um fato inusitado: foi registrada uma arma em cima da mesa do parlamentar, que estava em seu gabinete em reunião com o amigo político. O próprio parlamentar divulgou a imagem em suas redes sociais, o que gerou revolta de outros edis.

O vereador Binho Guimarães (PDT) denunciou o caso em suas redes sociais e informou que vai representar contra o colega na comissão de ética e decoro para apuração da conduta de Douglas, bem como oficiar a presidência da Casa para que haja maior controle no acesso.

Já a Câmara Municipal informou que respeita o Estado Democrático de Direito, e que assim sendo, apurará com responsabilidade todas as informações.

“É prematuro e irresponsável tomar qualquer posicionamento neste momento”, informou através de nota.

Douglas Gomes explicou que a foto foi tirada na última segunda-feira (4), quando estava em reunião com Jordy para tratar sobre as medidas contra o PL278/2020, aprovado em segunda discussão no Legislativo.

“No final da conversa batemos uma foto. A arma em questão pertence ao segurança do deputado federal Carlos Jordy. O mesmo é policial militar e o regimento interno não foi ferido. Eu ainda não tenho arma e estou em processo para ter meu porte. No momento da reunião estávamos somente nós três dentro do gabinete”, explicou.

O deputado federal Carlos Jordy foi procurado pela reportagem de A TRIBUNA para comentar o caso, mas não atendeu as ligações telefônicas e nem retornou as mensagens enviadas.

O projeto

O PL 278/2020 foi aprovado no ano passado e está aguardando a sanção, ou não do prefeito de Niterói, e trata sobre a penalidade sob o cidadão niteroiense que se recusar a tomar a vacina contra a Covid-19. De acordo com texto, a vacinação será considerada obrigatória, nos termos do artigo 7º, inciso I, alínea “c” da Lei 2564/2008 – Código Sanitário do Município de Niterói, e a recusa à vacinação poderá ser considerada infração sanitária grave.

Ainda de acordo com o PL, no artigo 5, os beneficiários dos programas de emergenciais do município de Niterói, respeitadas as fases de vacinação estabelecidas pelas autoridades sanitárias, deverão apresentar a carteira de vacinação comprovando a devida imunização, sob pena de ter seu benefício interrompido antes do prazo legal previsto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − catorze =