Câmara de Niterói tem nova configuração após janela partidária

Uma mudança considerável nas forças partidárias da atual legislatura na Câmara de Vereadores de Niterói. Foi esse o resultado do troca-troca dos partidos para a eleição, que este ano não terá mais os famosos puxadores de votos. Normalmente, a comparação das bancadas é feita entre o resultado da última eleição municipal e o saldo posterior ao período da janela. No entanto, a Casa passou por uma legislatura atípica, com muitas alterações devido à convocações do Executivo, e a comparação é feita entre o início e o final. Dos 21 vereadores, apenas Bruno Lessa (DEM) e Paulo Bagueira (SDD) não são pré-candidatos à reeleição.

Seis partidos com apenas dois vereadores dividem o posto de ter a maior bancada da Casa. São eles: O PDT, Progressistas, Cidadania, Psol, PSDB e PCdoB. O partido do prefeito Rodrigo Neves, com duas cadeiras: Renato Cariello e Andrigo são as apostas da legenda. Sandro Araújo e Luiz Carlos Gallo foram para o Cidadania. Gallo, que reassumiu o mandato, promoveu a saída de Paulo Henrique para ser secretário Regional, que foi para o PL. Beto da Bipa saiu do MDB e também reforçou a bancada do Partido Liberal junto com Atratino.

As outras duas legendas que tinham representantes e perderam foram o PHS e o MDB.

João Gustavo trocou o PHS pelo Progressitas, do presidente Milton Cal. Já Rodrigo Farah, com a saída de Beto da Pipa ficou só no MDB. Betinho que era do SDD foi para o PcdoB partido do vereador Leonardo Giordano e Velasco, Avante. Do Psol, Renatinho e Paulo Eduardo Gomes continuam, já Emanuel Rocha foi para o SDD.

O PTB, do presidente Nacional, Roberto Jefferson, ficou na base governista, com Renatinho da Oficina. Também fica na base o PT de Verônica Lima, Emanuel Rocha SDD, Ricardo Evangelista Republicanos e Leandro Portugal do PV.

No DEM, que mantém a pré-candidatura a prefeito de Bruno Lessa, não há outro. Da bancada de oposição, outro vereador que continuou no seu partido, apesar de muitas tentativas de mudança, foi Casota, do PSDB. O destino da legenda na majoritária, segundo o vereador, ainda é uma incógnita.

Ainda tem muita água para rolar, mas depois destes cálculos, as peças estão na mesa, já distribuídas. Agora é esperar as convenções, previstas para aconteceram entre 20 de julho e 5 de agosto, para ver se o combinado em abril terá validade nas urnas, até agora, mantidas para outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =