Aprovado aumento dos salários de prefeito, vice e secretários

Os vereadores de Niterói aprovaram nesta terça-feira (29) o projeto que aumenta o salário do prefeito, vice-prefeito e secretários municipais a partir de janeiro de 2021. A votação foi em primeira discussão. Nesta quarta-feira (30), às 15h, a Câmara se reunirá para o segundo turno de votação do texto, que recebeu nove votos favoráveis e quatro contrários. Com a aprovação em primeiro turno, o salário do prefeito aumentará de R$ 29,5 mil para R$ 32,4 mil, um reajuste de 10%. O maior aumento será do secretários municipais, que terão um reajuste de 34%, dos atuais R$ 12,3 mil para R$ 16,5 mil.

O polêmico projeto é de autoria da mesa diretora da Casa, que é presidida pelo vereador Paulo Bagueira (SDD). Vale lembrar que Bagueira é vice-prefeito eleito de Niterói, e terá um salário maior a partir de 2021. A proposta aprovada reajustou em 10% os vencimentos do vice, que passará de R$ 25,9 mil para R$ 28,5 mil de salário. Bagueira se licenciou do cargo de presidente da Câmara no último dia 23.

A aprovação da matéria provocará o efeito cascata em salários de servidores que têm seus vencimentos equiparados ao do prefeito. O limite municipal é de R$ 3,3 milhões anuais.

O vereador Bruno Lessa (DEM), que votou contra, criticou o reajuste e lembrou da crise econômica enfrentada pelos brasileiros.

“É um tapa na cara do niteroense que perdeu emprego na pandemia, do comerciante que teve que fechar seu negócio, do empresário que teve que demitir porque não estava conseguindo fechar sua folha salarial. O problema é o exemplo, porque o poder público tem que dar exemplo”, disse.

Um dos vereadores que votaram a favor do aumento, o vereador Carlos Macedo (PRP) afirmou que a Constituição Federal foi seguida, e que o salário dos vereadores não será reajustado.

“Nós temos uma cultura de discutir salário por cima. Eu acho que a gente tem que discutir por baixo. Entendo que o momento é difícil, mas vamos discutir o salário mínimo, vamos pressionar o presidente da República a não dar só 30 reais de aumento no salário mínimo”, discursou.

Apenas 14 participaram da votação. Votaram contra o projeto Bruno Lessa (DEM), Renatinho do PSOL (PSOL), Paulo Eduardo Gomes (PSOL) e Paulo Velasco.

A favor do reajuste votaram Rodrigo Farah (MDB), Carlos Macedo (PRP), Beto Pipa (MDB), Emanuel Rocha (SDD), Andrigo (SDD), João Gustavo (PHS), Leandro Portugal (PV), Renatinho da Oficina (PTB) e Ricardo Evangelista (PRB).

Apenas um vereador se absteve do voto: Renato Cariello (PDT).

Faltaram à sessão Leonardo Giordano (PCdoB), Verônica Lima (PT), Luiz Carlos Gallo (Cidadania), Betinho (SDD), Paulo Bagueira (SDD), Sandro Araújo (PPS) e Casota (PSDB). Milton Cal (PP) usou a prerrogativa de ser o presidente da Câmara e não votou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + três =