Calouros dão show de criatividade nas ruas

Um verdadeiro carnaval fora de época, com jovens alegres, fantasiados e com muitos sonhos que saltam os olhos. Assim foi o primeiro dia de trotes entre os alunos de diversos cursos da Universidade Federal Fluminense (UFF). Os jovens terão uma semana para recolher, em diversos pontos da cidade, contribuições que, dependendo do curso, variam entre R$ 200 e R$ 300.

“Os veteranos dos cursos é que definem quanto cada curso terá que recolher. É muito divertido acima de tudo. Não são trotes violentos e o objetivo é recolher uma boa soma em dinheiro para que seja revertido para os próprios alunos que durante o semestre participam de diversos eventos da Universidade”, comentou a caloura Alícia Carneiro Lopes, de 18 anos.

Animada em começar logo o curso de Engenharia Química, a jovem Giuliana Alfradique, de 18 anos, diz que espera na verdade é que o país se transforme e que no futuro os novos calouros sejam recepcionados com oportunidades de trabalho, num cenário atual de crise financeira e incertezas políticas.

“Eu estou muito feliz porque lutei muito pra entrar nesta faculdade. Foi de primeira, mas dispensei muitas horas de estudos e espero que no futuro todos nós tenhamos um país com trabalho e renda pra população”, desabafou a caloura.

Quem também tem motivos pra comemorar a semana de trotes é o mineiro de Muriaé, Ricardo Ribeiro, de 18 anos, que conta que se diverte ao pedir as moedas em frente ao terminal das barcas.

“Eu estou muito feliz em ter o corpo pintado, pois sei que significa que venci uma peneira árdua, que é o vestibular”, comemorou o futuro engenheiro.

Vindo de Cabo Frio, na Região dos Lagos, Ronaldo do Couto, de 18 anos, aprovado no curso de Engenharia, é só felicidade. Com o corpo todo pintado, ele conta que a crise tem influenciado inclusive nas contribuições da população.

“A crise está feia, estou aqui desde as 10h e agora já são 16h e consegui quinze reais apenas. Acho que a crise tem atrapalhado muito, mas tenho até sexta-feira pra cumprir a minha missão”, disse o aluno.

A assessoria de imprensa da UFF informou que a instituição monitora todos os trotes realizados pelos veteranos da Universidade. O objetivo deste controle é evitar excessos e manter a paz e harmonia entre os alunos e a instituição. Em paralelo, a UFF realiza há 16 anos o trote Cultural, onde são ministradas palestras educativas, doações de sangue, tratamentos odontológicos gratuitos entre outras ações sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *