Calçadão da Praia de Piratininga começará a ser recuperado em abril

A elaboração do projeto de reconstrução do calçadão da Praia de Piratininga já foi concluído e as obras começam em abril no trecho entre as ruas Jornalista Umbelino Silva e João Gomes da Silva, totalizando uma extensão de 300 metros. O investimento que vai custar R$ 4 milhões para a prefeitura, éa soluçãoa definitiva para proteger o local das fortes ressacas que ocasionaram a diminuição da faixa de areia.

Na área será construído um muro de contenção com a utilização de pilastras hélice, que oferecem maior segurança, até que seja feita a reposição do estoque de areia da praia.

Através do Programa Região Oceânica Sustentável, Niterói realizou estudos sobre a dinâmica costeira. O intuito foi entender como seria possível conter o que está causando essas erosões com frequência na praia levando ao desabamento do calçadão.


“Foram estes estudos, já apresentados e discutidos com os cidadãos interessados, que indicaram a reposição do estoque de areia da praia como a melhor solução e embasaram os projetos de engenharia do muro de contenção neste trecho. Em função dos fenômenos de marés e ressacas de forte magnitude que atuam no local, foram identificadas estruturas existentes de contenção em concreto armado junto à orla da praia que se encontram danificadas e rompidas. Com isso, realizamos a licitação para contratação da empresa para elaboração do projeto executivo e execução das obras de recuperação do calçadão”, explica.

O local vai receber um posto salava-vidas e paisagismo em toda extensão do calçadão que será reconstruído.


“O trabalho de requalificação paisagística tem como objetivo proporcionar aos moradores e frequentadores da Praia de Piratininga um espaço público de lazer e convívio, além de investir na recomposição paisagística com espécies nativas da restinga. Assim, serão criadas áreas de permanência sombreadas, alguns espaços gramados livres, canteiros vegetados e caminhos que interligam essas praças”, conta Dionê, coordenadora do Programa Região Oceânica Sustentável (PRO Sustentável).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =