Calça camuflada pode ter levado traficantes a acharem que militares seriam bandidos rivais

Com base em laudos e cruzamento de informações, a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG), informou que os militares do Exército, Victor Hugo Pedrosa Xavier e Daniel Ferreira de Azevedo, podem ter sido mortos por traficantes, pelo fato de um deles estar vestindo uma calça camuflada, usada pelos militares, mas também por criminosos de facções criminosas. Por isso, os assassinos podem ter achado que os soldados do Exército poderiam ser de uma facção rival. Sem mencionar maiores detalhes, a DH acredita que está perto de elucidar o bárbaro crime.

Os corpos de Victor Hugo e Daniel Ferreira foram encontrados carbonizados, no dia 13 do mês passado, dentro de um veículo incendiado, na Rua Francisco José da Silva, no bairro Pacheco, em São Gonçalo. O delegado Mário Lamblet, responsável pela investigação, informou que a versão sobre a calça camuflada não está descartada, e acrescentou que a delegacia segue realizando um trabalho de reconstituição dos últimos passos das vítimas, com os devidos horários, para apurar maiores detalhes e e assim chegar com certeza a autoria do crime.

A DH também está chegando a conclusão que os militares não teriam sido mortos no Pacheco, mas sim em outro local, e que o carro (que seria do pai de um dos militares) foi levado com os corpos para o bairro onde foi incendiado e abandonado. Victor e Daniel teriam sido capturados por criminosos depois de terem dado uma carona para deixar uma amiga em casa. Na noite anterior os amigos foram vistos numa casa de festas e depois num bar, antes de serem capturados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.