Cafezinho, pão na chapa e suco de laranja podem ter 53% de variação

Raquel Morais –

Tomar um cafezinho fora de casa, pedir uma média, um pingado ou o famoso pão na chapa. É um hábito comum do brasileiro deixar a primeira refeição do dia para ser feita na rua. Uma pesquisa da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) apontou que no Rio de Janeiro, dependendo do local, o café com leite apresenta até 539% de diferença de preço. Em Niterói, a diferença não é tão discrepante, mas chega aos 53,33%. O levantamento também apontou os sete produtos mais consumidos no café da manhã: leite, café expresso, cafezinho, pão de queijo, pão na chapa, salgado (italiano) e suco de laranja.

Na Zona Sul de Niterói, um cafezinho simples custa R$ 2, enquanto no Centro da cidade é vendido por R$ 1,50. Na área nobre, o ‘pingado’ (café com leite) é vendido por R$ 2,30 contra R$ 1,50 da região central, diferença de 53,33%.

O taxista Gino Nascimento, de 54 anos, toma três cafés simples por dia, de segunda a sexta-feira, no Centro de Niterói. O custo mensal é de R$ 90 e se esse hábito fosse feito na Zona Sul, o motorista iria gastar R$ 120, diferença de R$ 30. “Eu tomo café no mesmo lugar, que é perto do meu ponto de táxi, pois gosto do café moído na hora”, comentou.

Além do cafezinho, o sócio do Café e Bar São Cristóvão, Rafael Carvalho, de 33 anos, disse que o pão na chapa é um dos campeões de vendas, e custa R$ 3,50.

Na lanchonete Oásis, em Icaraí, o salgado (italiano) e suco de laranja também são uns dos queridinhos para quem faz seu desjejum na rua. O italiano, massa com queijo e presunto, é vendido por R$ 4,70 e o suco de laranja, um dos itens mais consumidos, segundo a pesquisa, custa R$ 6,50. “Eu gosto de comer esse ‘casadinho’ todos os dias, mas realmente não dá. Deixa uma vez por semana para matar a minha vontade e vou de pão na chapa mesmo”, pontuou o vendedor Sérgio Oliveira, 40 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 5 =