Breno Silveira trabalhava em projeto sobre a vida de Roberto Carlos

O cineasta Breno Silveira, que morreu ontem, aos 58 anos, após sofrer um infarto fulminante, não deixou apenas saudades entre familiares e amigos do aclamado diretor. Breno trabalhava junto com o jornalista Nelson Motta e a roteirista Patrícia Andrade (de “Dois Filhos de Francisco”) em um projeto sobre a vida do cantor Roberto Carlos. O trabalho estava bastante adiantado e poderia ser lançado em formato de filme ou série, que seria exibida no streaming.

A declaração foi dada pelo jornalista Nelson Motta enquanto prestava a sua homenagem ao amigo nas redes sociais. Segundo Motta, Roberto Carlos confiava apenas em Breno para que pudesse dirigir o filme sobre a sua trajetória. A história está pronta, o roteiro tem novas versões, mas, não tem o diretor gritando “ação” para que os atores comecem a fazer os seus trabalhos

“Com o querido Breno Silveira quando iniciávamos os trabalhos para um longa de ficção sobre Roberto Carlos. A ideia era a vida de Roberto contada por ele mesmo. E fizemos um pacto: só entraria o que ele tivesse contado nas várias entrevistas que fiz com Patrícia Andrade e para nossa surpresa ele contou muita coisa inédita e interessante”, contou Motta. 

O jornalista aguardava ansiosamente pelas gravações  do longa sobre a vida de Roberto Carlos.  “Roberto confiava muito em Breno, já trabalharam juntos, foi seu escolhido para dirigir o filme. Eu como velho amigo e Patrícia como fabulosa roteirista de confiança de Breno desde ‘Dois filhos de Francisco’. Ouvimos e ouvimos, ótimas histórias, escrevemos e escrevemos. Novas versões do roteiro foram feitas por Patrícia com supervisão de Glória Pérez. Está tudo pronto. É só gritar ‘rodando’! Diz a lenda que o Rei gostou. Mas nada rolou. Agora ouço dizer que a ideia seria desdobrá-lo em uma série de quatro episódios. Pena que não é Breno que vai gritar ‘Roda som! Roda câmera! Ação!’”, finalizou Nelson. 

Não terá mais o Breno nos sets de filmagem, entrevistas com o ele e os ensinamentos que o cineasta passava para aqueles que faziam parte da sua equipe, apenas saudades e lembranças guardadas em sete chaves.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.