‘Brejo’ no Centro de Niterói incomoda população

Raquel Morais –

O empreendimento Oscar Niemeyer Monumental, no Centro de Niterói, já foi alvo diversas vezes de especulações. O Ministério Público Estadual já proibiu a construção das torres gêmeas, a proibição já foi derrubada, o projeto faz parte da revitalização do Centro, mas a obra não sai do papel desde 2012. Agora, a novidade que envolve o local é um total abandono do terreno de 3,8 mil metros quadrados. Um verdadeiro lago, ou melhor, ‘brejo’, como moradores do entorno costumam se referir, está sendo ‘cultivado’ no local das escavações feitas em 2014 para implantar as fundações da obra.

O Monumental foi prometido como parte do Caminho Niemeyer, que tem Teatro Popular e Museu de Arte Contemporânea (MAC) no projeto, mas por enquanto é só um foco de proliferação de mosquitos, roedores e até sapos. Segundo moradores e comerciantes locais, essas escavações não foram concretadas e os buracos enchem de água quando chove. “Moro em frente a esse terreno e sempre temos que fechar as janelas, pois são muitos mosquitos. Além disso, quando está muito sol, o mau cheiro também incomoda”, comentou o fotógrafo João Carnavos, de 45 anos.
O Monumental faz parte de um projeto das incorporadoras PDG e Latini Bertoletti, com valor estimado em R$ 367 milhões. As empresas foram procuradas para comentar o caso, mas não se manifestaram até o fechamento dessa edição. A Prefeitura de Niterói também foi questionada sobre o assunto e informou que uma equipe do Centro de Controle de Zoonoses irá ao local para vistoria.

Ao todo seriam construídas duas torres com 28 andares casa e no 13º pavimento uma passarela iria ligar os dois prédios, através de um jardim suspenso. Em uma torre seriam construídas 456 salas comerciais e a outra teria alguns escritórios corporativos, um restaurante e 293 quartos de hotel com a bandeira Ibis, da Rede Accor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 10 =