Brasil ultrapassa a marca de 250 mil mortes por Covid

O Brasil chegou na quarta-feira (24) a um total de 250.036 mil óbitos pela Covid-19 registrados até às 18h. Na quinta-feira (25) o país está completando um ano do primeiro caso confirmado pela Organização Mundial da Saúde. A primeira morte em decorrência da doença no Brasil ocorreu em 12 de março de 2020. O país registrou, até a tarde de quarta-feira (24), 1.390 novos óbitos. Também foram registrados 63.383 novos casos, chegando a 10.324.004 desde o início da pandemia.

Especialistas apontam um ritmo acelerado de transmissão e de mortes, e alegam ser consequência da falta de medidas de isolamento e de restrições impostas pelo estado. Outro fator que pode impulsionar as transmissões é a chegada de novas variantes do Sars CoV-2. O Ministério da Saúde divulgou que rastreou 204 casos de pacientes infectados com as variantes do Reino Unido e do Brasil, inicialmente detectada no Amazonas.

As primeiras 50 mil mortes demoraram 100 dias, entre 12 de março e 20 de junho do ano passado. Entre a marca de 200 mil, em 7 de janeiro deste ano, e a de 250 mil, na quarta-feira (24), foram 48 dias. O ritmo das mortes deve continuar acelerando. O país pode atingir 300 mil mortes ainda no mês de março.

Manaus AM 15.05.20 Sepultamentos no Cemitério Nossa Senhora Aparecida. causado pela Pandemia do Covid-19 Foto: Alex Pazuello/Semcom

Em 25 de fevereiro de 2020 foi confirmado o primeiro caso de coronavírus no Brasil. Paciente era um homem de 61 anos que viajou à Itália, e deu entrada no Hospital Albert Einstein no dia anterior.

Uma semana depois, no dia 5 de março de 2020, foi confirmado o primeiro caso de coronavírus no estado do Rio de Janeiro. Subiu para 8 o número de casos confirmados no Brasil: 6 em São Paulo, 1 no Espírito Santo e 1 no Rio de Janeiro. Também foi registrada a primeira transmissão interna no país.

No dia 11 de março de 2020, com o aumento expressivo de casos e óbitos pelo mundo, a Organização Mundial da Saúde declarou pandemia de coronavírus. Uma mulher de 58 anos, moradora da capital do estado do Rio de Janeiro, foi a primeira vítima fatal no estado no dia 23 de março. Ela fazia parte do grupo de risco, de acordo com comunicado feito pela Secretaria Estadual de Saúde.

No dia 17 de março de 2020 o Estado do Rio de Janeiro decretou situação de emergência e definiu medidas temporárias para prevenir o contágio do novo coronavírus. Foram suspensos por 15 dias eventos e atividades com presença de público, visitas às unidades prisionais e transporte de detentos para realização de audiências, visita a pacientes internados diagnosticados com Covid-19, e aulas na rede pública e privada. O decreto publicado restringiu a 30% o funcionamento de bares, restaurante e lanchonetes por 15 dias. Outras medidas tomadas pelo governo do Rio de Janeiro como o funcionamento restrito dos serviços de saúde, redução da capacidade de lotação de transportes públicos.

Portaria do Governo Federal tornou crime contra a saúde pública recusa ao isolamento e à quarentena que for determinar pelas autoridades em caráter emergencial. A norma determinou detenção de um mês a um ano, além de multa, a quem descumprisse as medidas sanitárias preventivas e autorizou o uso da força policial para cumprimento das determinações.

Até 19 de fevereiro deste ano, 49,34% das doses recebidas pelos estados foram aplicadas. Isto significa que 5.756.502 brasileiros já receberam ao menos a primeira dose da vacina. A segunda dose da vacina já foi aplicada a 1.051.406 brasileiros.

O Ministério da saúde negocia com produtores de vacina da Rússia e Índia, responsáveis pelas vacinas Sputnik V e Covaxin, respectivamente, para que as vacinas sejam disponibilizadas aqui no Brasil. Mas vale lembrar que as vacinas ainda não receberam aprovação para uso emergencial pela Anvisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × quatro =