Brasil recebe mais 1,5 milhão de doses de Pfizer

Um avião pousou, no sábado (5), no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, interior de São Paulo, com um novo carregamento de vacinas ComiRNaty, da Pfizer/BioNTech. De acordo com a Pfizer, a aeronave tinha 1,52 milhão de doses, sendo o 63º lote de vacinas contra a covid-19 enviado ao Brasil.

A chegada deste lote ao Brasil estava prevista para a sexta-feira (3), mas, segundo a Pfizer, por questões logísticas, o voo foi remanejado para ontem. O Ministério da Saúde informou que a distribuição dessas doses ocorrerá nos próximos dias.

Desde o início da campanha de vacinação contra a covid-19, no Brasil, o ministério informa já ter distribuído aos estados e ao Distrito Federal mais de 55,2 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech.

De acordo com o ministério, mais de 253,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 já foram destinadas a todo o Brasil. Isso inclui as vacinas da Pfizer/BioNTech, AstraZeneca/Oxford/Fiocruz e CoronaVac/Butantan/Sinovac, que são aplicadas em duas doses, e a Janssen, que é aplicada em dose única. Alem disso, ainda segundo o ministério, mais de 133,5 milhões de brasileiros receberam ao menos a primeira dose e 65,6 milhões estão completamente imunizados com as duas doses ou a dose única.

Anvisa interdita lotes da Coronavac

Já outra vacina, a Coronavac, teve alguns lotes interditados de forma cautelar pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também no dia de ontem. A agência também determinou a proibição da distribuição e do uso de lotes que foram envasados em uma fábrica não aprovada na autorização de uso emergencial da vacina.

Em nota, a agência explicou que, nesse caso, “configura-se em produto não regularizado junto à Anvisa”, necessitando de atuação imediata para “mitigar um possível risco sanitário” à população.

Também em nota,

Também em nota, o Instituto Butantan, que distribui a vacina no Brasil, esclareceu que a medida da Anvisa “não deve causar alarmismo”. “Foi o próprio instituto que, por compromisso com a transparência e por extrema precaução, comunicou o fato à agência, após atestar a qualidade das doses recebidas. Isso garante que os imunizantes são seguros para a população”, explicou.

De acordo com a Anvisa, o Instituto Butantan informou, ontem (3), que o laboratório chinês Sinovac, fabricante da CoronaVac, enviou ao Brasil vacinas envasadas em uma unidade que não foi inspecionada, nem aprovada pela agência brasileira. São 25 lotes com um total de 12.113.934 de doses do imunizante. Outros 17 lotes envasados no mesmo local, com 9 milhões de doses, estão em tramitação de envio e liberação ao Brasil.

A interdição cautelar tem o prazo de 90 dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − 6 =