Brasil leva medalha de prata na ginástica artística

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Arthur Zanetti acabou ficando com a medalha de prata ontem ao ser batido pelo grego Eleftherios Petrounias, que fez 16.000 pontos para levar a melhor na final das argolas. Medalhista de ouro em Londres 2012, o brasileiro falhou na tentativa de vencer sua principal ameaça, e teve de se contentar com o segundo lugar do pódio, com 15.766 pontos. Ainda assim, o ginasta de São Caetano do Sul se tornou o primeiro brasileiro a conquistar duas medalhas na ginástica artística.
Petrounias foi o segundo a entrar em ação na final dar argolas. Seguro, o grego fez uma ótima apresentação, sinalizando que iria aparecer até o fim das competições entre as primeiras posições. Atual campeão mundial e europeu, o rival de Zanetti saiu satisfeito do aparelho e logo assumiu a liderança ao receber 16.000 pontos pela sua atuação, praticamente perfeita e superior ao que o ginasta brasileiro marcou em Londres 2012 para sair com o ouro no peito (15.900).
Arthur teve de conviver com a ansiedade até o fim das apresentações de seus adversários, já que foi o último a competir. Nenhum dos rivais conseguiu bater a pontuação de Eleftherios Petrounias, fato que acabou colocando ainda mais pressão sobre as costas do atual campeão olímpico no aparelho.
Na vez de Zanetti, o atleta teve uma excelente atuação. Seguro, ele conseguiu realizar todos os seus movimentos e ao menos se manteve entre os principais nomes da modalidade. Detentor dos principais títulos do aparelho nos últimos anos, Petrounias garantiu a medalha que faltava para confirmar sua supremacia. O russo Denis Abliazin, bronze no solo em Londres 2012, ficou com o bronze ao marcar 15.700 pontos.

Flávia termina
em quinto na trave
Após três ouros, Simone Biles, enfim, foi superada no Rio 2016. Competindo ontem na final da trave, a norte-americana falhou em seu número e viu Sanne Wevers fazer 15.466 pontos para garantir a medalha de ouro à Holanda. Também dos EUA, Lauren Hernandez ficou com a prata, enquanto a própria Biles fechou o pódio com seu primeiro bronze. Já a brasileira Flávia Saraiva terminou na quinta colocação, igualando Daiane dos Santos outra ginasta a conseguir o quinto lugar em uma final individual olímpica.
Última da final, Flávia Saraiva cometeu alguns erros durante a difícil prova que realizou. Com apenas 16 anos e disputando sua primeira Olimpíada, a brasileira saiu satisfeita ao pelo menos se classificar para a final e terminou sua participação na trave com a quinta colocação, marcando 14.533 pontos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × cinco =