Brasil disputa final da natação e quebra recorde paralímpico

O brasileiro Gabriel Bandeira, bateu recorde paralímpico para o Brasil na segunda bateria dos 100 metros borboleta classe S14. Ele marcou 56.78 e chegou em primeiro lugar, batendo o recorde do australiano Liam Schluter, na bateria anterior.

Já nos 100 metros costas S2 o brasileiro Gabriel Araújo chegou em segundo lugar na segunda bateria com o tempo de 2:09.73, e está classificado para a final da prova, que acontece hoje (25). O vencedor foi Vladimir Danilenko, do Comitê Paralímpico Russo, com 2:02.07. Ele fez o melhor tempo das eliminatórias.

A natação é a segunda modalidade com mais representantes brasileiros no Japão, bem como a segunda que mais conquistou medalhas na história dos Jogos Paralímpicos para o Brasil – ficando atrás apenas do atletismo em ambos os quesitos.

O maior medalhista brasileiro da história dos Jogos Paralímpicos, com 24 medalhas no total (14 de ouro, sete de prata e três de bronze), é o nadador paulista Daniel Dias.

NO GOALBALL, BRASIL GOLEOU ATUAL CAMPEÃ PARALÍMPICA

Romário, Leomon e Parazinho é o trio que garantiu ao Brasil a vitória por 7 a 1 na estreia do goalball nas Paralimpíadas de Tóquio. A seleção brasileira goleou a Lituânia, que é a atual campeã paralímpica. Nessa estreia com cara de final, o capitão Romário fez quatro gols, Leomon mais três, José Márcio, conhecido como Parazinho, fez outros três e o estreante Emerson fez o dele também.

O Brasil, medalha de bronze nos Jogos do Rio 2016 e atual bicampeão mundial, está no Grupo A com Estados Unidos, prata em 2016, além de Japão e Argélia. Os brasileiros encaram os americanos, atuais medalhistas de prata nas Paralimpíadas, na próxima quinta-feira, às 1h15 (horário de Brasília).

A equipe feminina encara os EUA, às 8h30 do dia 25, pelo Grupo D. ale destacar que a Seleção masculina é a atual bicampeã mundial da modalidade, sendo que a Lituânia é a sua maior rival. A classificação da equipe brasileira para os Jogos Paralímpicos se deu pelos resultados obtidos no Mundial de 2018 em Malmö, na Suécia. O Brasil também enfrentará na fase inicial da competição os Estados Unidos, prata na última edição dos Jogos, o anfitrião Japão, além da campeã africana, a Argélia.

No feminino, o Brasil busca sua primeira medalha paralímpica. Além dos EUA, bronze nos Jogos Rio 2016, a Seleção vai ter pela frente a poderosa Turquia, ouro nos Jogos Rio 2016 e vice-campeã mundial, o Japão e o Egito, que foi convidado para o lugar da Argélia, após as campeãs africanas renunciarem à vaga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =