Brasil deve superar os EUA em número de mortes por Covid-19 em menos de três meses

Segundo balanço divulgado pelo consórcio de veículos de imprensa com dados das secretarias de saúde, neste sábado (19), o Brasil ultrapassou a devastadora marca de 500 mil mortes por Covid-19. Oficialmente, até hoje, foram 500 mil e 868 vidas perdidas para a doença em todo o país.

O Brasil se tornou neste sábado (19) o segundo país do mundo a superar a marca de 500 mil mortes por Covid-19. Antes apenas os EUA havia atingido essa triste marca, já tendo ultrapassado, inclusive, os 600 mil óbitos. Contudo, ao contrário do que ocorre no Brasil, o número de novas vítimas nos EUA vem diminuindo consideravelmente desde janeiro.

Com o avanço da vacinação nos Estados Unidos e a proliferação das variantes gama, no Brasil, e delta, na Índia, esses dois países se aproximam cada vez mais da nação que ainda lidera o ranking de mortes em decorrência da pandemia.

Os EUA levaram 114 dias para registrar as últimas 100 mil vítimas por Covid-19, enquanto o Brasil precisou de 51 dias e a Índia, apenas 26. Inclusive, o gigante asiático deve ultrapassar a marca de 400 mil óbitos nos próximos dias.

No atual ritmo de casos, o Brasil pode ultrapassar os EUA em número de mortes por Covid-19 em menos de três meses, assumindo o 1º lugar no ranking mundial. Isso porque, desde o dia 1 de março, o Brasil acumulou mais de 242 mil vítimas da Covid-19, enquanto nos EUA foram 85 mil, ou seja,  uma diferença de mais de 157 mil óbitos.

Se essa diferença se mantiver, com mais de 2,2 mil mortes por dia aqui e menos 800 lá, o Brasil deverá alcançar os EUA no final de agosto ou início de setembro.

A mudança de governo e a aceleração da vacinação nos EUA fizeram as mortes por Covid-19 despencarem de um recorde diário de 4.475 em 12 de janeiro, para 111 em 13 de junho, uma queda de 97,5% em apenas cinco meses.

Enquanto isso, Brasil e Índia viram o número de óbitos explodir a partir de março e abril e ainda não conseguiram fazer a vacinação contra a Covid-19 avançar para tentar diminuir essa tragédia que assola as duas nações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 3 =