Bolsonaro participa da entrega de espadins aos cadetes da Aman

O presidente Jair Bolsonaro participou da cerimônia em que 409 cadetes do 1º ano da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, sul do estado do Rio, receberam a réplica reduzida da Espada de Duque de Caxias, patrono do Exército Brasileiro.

Bolsonaro não falou à tropa durante a tradicional solenidade de entrega de espadins aos novos cadetes. O ministro da Defesa, general Walter Braga Netto fez o discurso de saudação das Forças Armadas aos formandos. Braga Netto disse aos cadetes que a profissão deles é um verdadeiro sacerdócio.

“Orgulhem-se de pertencer a uma das instituições mais respeitadas pela população brasileira. O país deposita nos militares a confiança no trabalho profissional e patriótico. Atualmente cresce de importância a busca de fontes idôneas. Confiem na cadeia de comando e na lealdade de seus líderes e superiores. Eles representam a palavra oficial da Força. Nossas Forças Armadas sempre foram protagonistas dos principais momentos na história do país. Vocês são herdeiros de uma história de glória e heroísmo”, afirmou o ministro.

Em outro trecho do discurso, Braga Netto destacou que o braço forte e a mão amiga acompanharam a evolução social, política e militar do país, seguindo o exemplo do patrono da Força, o Duque de Caxias, e dos pracinhas da Força Expedicionária Brasileira.

O ministro ressaltou que o país precisa cultuar a memória de seus heróis e manter vivas suas raízes e tradições. “Reafirmo que as Forças Armadas continuarão com fé em suas missões constitucionais como instituições nacionais e permanentes com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, para assegurar a defesa da pátria, a defesa da soberania, da independência e harmonia entre os poderes e na manutenção da democracia e da liberdade do povo brasileiro.”

Antes, o comandante da Aman, general de Brigada Paulo Roberto Rodrigues Pimentel, discursou, dizendo aos cadetes que o compromisso assumido por eles “descortina um belo horizonte pela frente. Inicia-se uma extensa caminhada de realizações, fundamentada em sacrifícios diários que, em seus primeiros passos, devem ser direcionados para os desafios da formação acadêmica”.

Cadetes

Ao término do discurso, Bolsonaro entregou o espadim ao primeiro colocado da turma, o cadete Pedro Henrique Conegatto do Amaral. Em seguida, o presidente desceu do palanque e foi cumprimentar os formandos e seus familiares, quando recebiam os espadins dos padrinhos e madrinhas. Bolsonaro ficou por mais de 10 minutos junto aos cadetes e seus parentes e tirou fotos com vários deles.

A Turma General João Manoel Menna Barreto é formada por 367 homens e 42 mulheres. Eles são oriundos de todo o Brasil e de nações amigas, sendo 211 da Região Sudeste, 71 do Sul, 61 do Nordeste, 42 do Centro-Oeste e 16 do Norte. Dos cadetes de nações amigas, três são de Camarões, dois da Guiana, dois do Senegal e dois do Panamá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 11 =