Bolsonaro chama imprensa de “canalha” e manda jornalistas “calarem a boca”

Dois dias depois que uma equipe de reportagem foi agredida em meio a uma manifestação a favor do governo, em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro mandou repórteres “calarem a boca” e ainda chamou a imprensa de “canalha”. Como se não bastasse, Bolsonaro ainda insuflou apoiadores contra os profissionais da categoria.

Revoltado com as publicações, que apontavam sua influência na troca do superintendente da Polícia Federal, Bolsonaro chamou a Imprensa de “canalha” e afirmou que a maioria só publicava “patifaria”. “Cala a boca ! Eu não te perguntei nada. Cala a boca!”, gritou, Bolsonaro quando jornalistas lhe fizeram várias perguntas.

Bolsonaro confirmou a troca de superintendente da Polícia Federal no Rio, e negou ter influenciado na decisão. “Não tem nenhum parente meu investigado pela PF, nem eu nem meus filhos. O superintendente está indo ser o diretor-executivo. São 27 superintendentes e ele está indo ser o diretor-executivo. Se fosse desafeto meu e eu tivesse ingerência, não iria para lá. É o 02”, reclamou Bolsonaro.

O cargo de diretor-executivo, segundo Bolsonaro representa o “número 2” a hierarquia da PF. Por ocasião do pedido de demissão, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou que Bolsonaro queria influenciar na autonomia da PF.

Em apuração..

Um comentário em “Bolsonaro chama imprensa de “canalha” e manda jornalistas “calarem a boca”

  • 6 de maio de 2020 em 11:26
    Permalink

    Apoio completamente o Sr. Presidente da República quando afirma que a imprensa é canalha.
    Essa imprensa brasileira é canalha mesmo. Canalha é fichinha.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *