Beth Gomes é ouro no lançamento de discos F53 dos Jogos Paralímpicos

Brasil está a uma medalha de atingir a marca de 100 ouros na história dos Jogos

A brasileira Elizabeth Gomes é campeã paralímpica do lançamento de disco na classe F53. Ela não só venceu a prova, disputada nesta segunda-feira (30), como também bateu o recorde mundial, com 17,62m. Agora, o Brasil tem 12 ouros em Tóquio 2020 e está a um de chegar à 100ª medalha dourada na história dos Jogos Paralímpicos.

Beth já era a recordista mundial e também campeã mundial e, por isso, era a favorita a conquista do ouro e não deu chances para as adversárias. Ela foi a última competidora a entrar em ação, já sabendo o que precisava fazer para vencer: bater 15,48m, da ucraniana Iana Leviedieva.

Beth passou a marca já em sua primeira tentativa, com 15,68m, superando o recorde paralímpico da classe F52 e conquistando o ouro. Na segunda rodada, melhorou ainda mais essa marca, com um arremesso que alcançou 16,35m. Ela “queimou” as duas tentativas seguintes. No entanto, na quinta tentativa, a brasileira bateu o recorde mundial com 17,33m e aumentou a marca no arremesso seguinte, estabelecendo 17,62m.

A brasileira confirmou o favoritismo e tornou-se campeã paralímpica. A atleta ucraniana ficou com a prata, enquanto a também ucraniana, Zoia Ovsii, ficou com o bronze.

Natural de Santos, Beth Gomes tem esclerose múltipla. Ela participa de sua segunda edição paralímpica, a primeira no atletismo. A atleta competiu em Pequim-2008, mas representando a seleção brasileira de basquete em cadeira de rodas.

Vale destacar que, além de Beth, Claudiney Santos também faturou o ouro no lançamento de disco nesta segunda-feira (30), na classe F56 masculino. Com os dois pódios dourados, o Brasil agora tem 12 medalhas de ouro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, 99 somando todas as edições da história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × três =