Beltrame pede demissão da Secretaria de Segurança

A saída do secretário de Segurança Pública do Estado, José Mariano Beltrame, do comando da pasta foi confirmada no final da manhã desta terça-feira (11) pelo Governo. Em nota, a assessoria esclareceu que Beltrame foi quem pediu demissão, mas que ele só deixará o cargo ao final do segundo turno das eleições. Luiz Fernando Pezão – governador licenciado – declarou em Brasília, que vai conversar com o secretário para que ele fique até o final da gestão do atual governo.

Após reunião com o presidente da Câmara, Pezão falou sobre o assunto com os jornalistas na capital do país. “Não tive a oportunidade de falar com ele. Se eu tiver, vou pedir para ele que fique até o fim do governo. Agora eu também não posso exigir que uma pessoa que está há 10 anos à frente da segurança pública continue. Eu me preocupo muito, porque ele está cansado.”

Delegado da Polícia Federal, Beltrame assumiu a Secretaria de Segurança em janeiro de 2007, no início do governo de Sérgio Cabral, e se tornou conhecido pela implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) na cidade do Rio. Ele é o secretário de Segurança a permanecer mais tempo no cargo. De acordo com o Governo do Estado, ainda não há o nome de quem assumirá a pasta a partir do dia 31 de outubro.

Histórico
José Mariano Beltrame está na Secretaria de Segurança desde 2007. Ele é formado em Direito pela Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em Administração de Empresas e Administração Pública pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Beltrame especializou-se em Inteligência Estratégica na Universidade Salgado de Oliveira e na Escola Superior de Guerra, além disso tem curso de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública e de Análise de Dados de Inteligência Policial, Sistema Guardião.

Em 1981 Betrame começou como agente no Departamento de Polícia Federal no ano de 1981, na área de combate ao tráfico de drogas. Chegou a delegado da PF, onde foi coordenador da Missão Suporte, chefe do Serviço de Inteligência e da Interpol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + nove =