Batalhão e delegacias de Niterói recebem ajuda dos “padrinhos”

Augusto Aguiar

Numa importante reunião, realizada nesta segunda-feira (05), na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), com presença de representantes das polícias Civil e Militar, da Justiça, da Administração Municipal e entidades do segmento comercial da cidade, o Conselho Comunitário de Segurança alinhavou os principais detalhes para ajudar os órgãos de segurança de Niterói. Como os próprios participantes do encontro definiram, o “abraço” será uma nova arma para ajudar o 12º Batalhão, delegacias e órgãos técnicos de segurança, em meio à grave crise que atravessa o estado.

O sistema utilizado será o de “apadrinhamento”, no qual entidades e órgãos representativos da cidade “abraçarão” a causa e ajudarão outros da área de “Segurança”. “O conselho (de Segurança) fez o chamamento público, convocando as entidades, sindicatos e o Poder Público, e eles nos atenderam. O movimento é para que os os órgãos de segurança não parem de funcionar em Niterói. É para garantir o funcionamento. Vamos ajudar nossos policiais com os insumos básicos necessitados por eles para o funcionamento. Não haverá ajuda em dinheiro, mas sim de papel para impressora, material de limpeza, canetas, tinta para impressora, esse tipo de material de trabalho. Cada padrinho dispor de uma espécie de cota para atender os apadrinhados”, explicou o presidente do CCSN, Leandro Santiago.

Na reunião, onde participaram entre outros o comandante do 12º BPM, coronel Márcio Rocha, coronel Paulo Henrique (Assuntos Estratégicos), delegado Renato Chernicharro (Departamento de Polícia de Área/DPA), além de titulares de distritais, e representantes da Ordem do Advogados do Brasil (OAB/Niterói), ficou praticamente definido os seguintes “apadrinhamentos”: o 12º BPM terá como “padrinho” o CDL; da 76ª DP (Centro/Niterói) será o Sindicato dos Lojistas de Niterói (Sindilojas); da 77ª DP (Icaraí) será a Associação Comercial e Industrial do RJ (Acierj); da 78ª DP (Fonseca) o Sindicato dos Empregados de Condomínios; da 79ª DP (Jurujuba) será a OAB/Niterói; da 81ª DP (Itaipu) será a Comissão de Segurança da Câmara de Niterói; e da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) será o Sindicato das Escolas Particulares de Niterói (Sinesp).

Ainda de acordo com Leandro Santiago, outros “apadrinhamentos” estão sendo definidos visando beneficiar o Posto Regional de Polícia Técnica e Científica (PRPTC), situado no Barreto, a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) e à Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG).

“Estamos também mantendo contato com o Judiciário de Niterói (TJ), que poderá nos ajudar no sentido de reverter penas alternativas em doações de material para as delegacias da cidade e até em serviços executados nessas unidades. Todas as entidades envolvidas manterão contato para melhor direcionamento na tarefa de suprir as delegacias com materiais. O comércio depende muito que esses serviços de segurança estejam em funcionamento. A iniciativa começa a entrar em prática imediatamente, e em janeiro haverá uma nova reunião para a realização de um balanço. É uma coisa nova para nós e não vamos deixar de cobrar ao Estado pelo que ele está deixando de fazer. Estamos apoiando o profissional de Segurança Pública, que muitas das vezes coloca dinheiro do próprio para ajudar a manter o serviço”, afirmou Leandro Santiago, acrescentando que qualquer empresário, comerciante, ou cidadão comum pode ajudar na iniciativa, e disponibilizou o telefone 99567-5967 para contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 4 =