Bares e restaurantes sem música ao vivo por sete dias

A prefeitura de Maricá publicará um decreto na segunda-feira (15) informando que bares e restaurantes não poderão oferecer música ao vivo, ou qualquer atividade que gere aglomeração, durante sete dias. A decisão foi tomada após reunião da prefeitura com os empresários e comerciantes locais.

Após o fim do decreto, na segunda-feira (22), a Prefeitura vai avaliar o resultado das medidas preventivas e fará uma nova reunião com os empresários para decidir se as restrições permanecem ou podem ser flexibilizadas.

“Uma reunião como essa é importantíssima, não se vê isso em outros lugares”, avaliou a secretária de Saúde, Simone Costa. “Estamos aqui também para escutar o que os empresários estão passando, mas também precisamos mostrar qual é a real situação do município, de que maneira a gente precisa se prevenir, como cuidar da vida das pessoas, é uma troca mútua”, comentou Simone.

O secretário de Ordem Pública e Gabinete Institucional, Júlio Veras, considerou positivo o encontro. “O caminho é sempre o diálogo. Vivemos um momento infeliz, mas vemos uma estabilização aqui. Essa reunião mostra que o governo está muito atento e sensibilizado, não só com a questão do combate à Covid-19, mas também está preocupado com a vida dos comerciantes, familiares e funcionários”, analisou o secretário. “Hoje ouvimos diferentes opiniões e realidades, e foi importante porque eles já sabem o próximo passo do governo, não tendo nenhuma surpresa que possa gerar prejuízo ao seu negócio”, completou Júlio Veras.

A reunião contou também com o secretário de Relações Institucionais João Maurício de Freitas.

“Ao contrário dos municípios do entorno, Maricá manteve os leitos de UTI de Covid, o que nos garante uma segurança e flexibilidade”, avaliou o secretário. “Percebemos uma crescente dos números de casos, e para que a estabilidade do município permaneça, precisamos tomar mais algumas medidas, foi então que resolvemos fazer a reunião com os representantes do comércio de bares e restaurantes para ouvir as demandas dessas pessoas e chegar a uma solução que mantivesse os negócios e protegesse a população”, avaliou João Maurício.

Os secretários de Transportes, Douglas Carvalho Paiva e de Desenvolvimento Econômico, Comércio, Indústria, Petróleo e Portos, Igor Sardinha, também participaram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + vinte =