Banco do Brasil decide paralisar as atividades a partir de quarta-feira

Uma assembleia virtual, que aconteceu na última sexta-feira (5), decidiu começar uma greve dos bancários do Banco do Brasil. Com apoio de 87% dos funcionários a paralisação começa amanhã. O intuito é protestar contra o plano de reestruturação anunciado pelo banco, que prevê o fechamento de mais de 240 agências em todo país, sete escritórios, 242 postos de atendimento, a extinção função de caixa, além da demissão de mais de cinco mil funcionários através de programa de demissão voluntária.

Essa medida aponta para um desmonte da estrutura do banco público que é um dos principais responsáveis pelo financiamento da agricultura, especialmente a familiar, no país e um importante vetor na economia.

O Sindicato dos Bancários de Niterói e Regiões informou em nota que a princípio, a paralisação na cidade ainda está sendo definida pela direção.

“Demitir funcionários, significa sobrecarregar os que ficarem, aumentar as cobranças, consequentemente, os adoecimentos da categoria e a precarização do atendimento ao público”, informou.

Os bancários do Banco do Brasil já realizaram atos nacionais nos dias 15 e 29 de janeiro. O aumento da digitalização bancária é o principal argumento do governo federal para colocar em prática a reestruturação.

“Este processo crescente de digitalização, inclui as classes média e alta, mas exclui as camadas mais vulneráveis. Ao tomar esta decisão, a direção do banco está tirando o atendimento dessas pessoas de renda mais baixa e atacando diretamente o papel do BB de indutor da economia, principalmente para as micro e pequenas empresas”, explica uma funcionária de uma agência do Banco do Brasil em Niterói que não quis se identificar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + nove =