Banco Central alerta sobre golpistas que usam links falsos do Pix

Golpistas têm criado sites falsos para o cadastramento de chaves do Pix e feito milhares de vítimas desde o início dos cadastros de clientes nos bancos iniciado na segunda-feira passada. O Banco Central do Brasil alerta sobre a importância da realização dos cadastros somente nos canais oficiais das instituições financeiras. Para não ser vítima de golpistas e ter seus dados roubados, os clientes devem fazer o registro exclusivamente através dos aplicativos ou nos sites das próprias instituições dos bancos, das fintechs (startups do sistema financeiro), das cooperativas de crédito e das financeiras.

O Pix é um novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central. Através dele será possível a transferência bancária em até dez segundos sem restrições de dia ou horário. A nova tecnologia tem início já no dia 16 do mês que vem. Pessoas físicas e microempreendedores são livres de taxas a menos que se trate da venda de bens e de serviços. Já as pessoas jurídicas pagarão pelo valor estimado pelo Banco Central de apenas R$ 0,01 a cada dez transações. O valor dependerá de cada instituição financeira.

Nos golpes, os links dos falsos sites são enviados por SMS, redes sociais ou e-mail. Quando a vítima clica nos endereços eletrônicos é exigido a ela o download de aplicações maliciosas. Assim, os criminosos passam a ter acesso remoto ao aparelho das vítimas para a captura de dados. Os falsos sites também podem apresentar um cadastro inválido para o roubo de informações pessoais ao ser preenchido com estes dados.

Cadastros

Pelos meios oficiais e válidos, foram realmente cadastrados no sistema 24.821.312 chaves do Pix durante os cinco primeiros dias das 9h de segunda-feira (5) até as 18h de sexta-feira (9), de acordo com informações divulgadas pelo Banco Central. Os aplicativos oficiais dos bancos chegaram a apresentar instabilidade. 

As chaves do Pix podem ser formadas pelos números de celular ou CPF dos clientes ou pelo do endereço de e-mail dos clientes. Há também a possibilidade da criação de uma chave produzida de forma aleatória contendo 32 dígitos chamada EVP (Endereço Virtual de Pagamento). O EVP deve ser solicitado ao banco em que se deseja cadastrar o Pix. Cada cliente poderá ter mais de uma chave do Pix em instituições diferentes, podendo usar como chave o seu número de celular em um banco, o seu endereço de e-mail em outro, o CPF em outro banco, assim por diante. Vale ressaltar que cada tipo de chave só poderá estar vinculada a uma conta bancária.

O Pix poderá ser usado além das transferências instantâneas de dinheiro. O novo sistema permitirá o saque de dinheiro no comércio, ao transferir o valor desejado para o Pix de um estabelecimento e retirar as cédulas no caixa. O pagamento de boletos, de contas de luz, de impostos e para compras no comércio também poderão valer da ferramenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − onze =