Aumento de casos de dengue e zika preocupa autoridades

Aline Balbino

O Governo do Estado divulgou nesta quarta-feira (21) o número de casos de chikungunya no Rio. De janeiro até o dia 6 de dezembro deste ano foram registrados 15.265 casos suspeitos de chikungunya, com 10 mortes. Os números em Niterói também são preocupantes. Em todo ano de 2015, foram registrados 774 casos de dengue na cidade, contra 1.683 dos 11 primeiros meses desse ano. Dezembro ainda nem foi contabilizado e já é possível observar um aumento de 117% nos casos. Os números de zika também cresceram absurdamente, pulando de 11 para 105 casos. Febre chikungunya foi outra doença que preocupou. Foram 37 casos contra dois, um aumento assustador.

A Fundação de Saúde pede atenção da população quanto ao cuidado com a proliferação, já que o criadouro mais frequente é a caixa d’água de residências, segundo o levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) do Ministério da Saúde. O Departamento de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses (Devic) de Niterói promove um trabalho intenso de rotina de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti. Agentes intersetoriais realizam fiscalização e vistorias das casas em todas as regiões do município, combatendo possíveis focos do mosquito e orientando a população.

Em São Gonçalo, os casos das doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti também foram muito altos. Somente até 21 de novembro deste ano, foram notificados 9.379 casos de dengue e 299 chikungunya. Os bairros com maior incidência de doenças causadas pelo mosquito são Zé Garoto, Tribobó, Lindo Parque, Engenho Pequeno e Brasilândia. Com a coleta irregular de lixo, a proliferação do mosquito pode se intensificar na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *