Aumenta o consumo de alimentos saudáveis durante a pandemia

O medo da infecção pelo coronavírus fez muitos brasileiros mudarem de hábitos e os alimentares estão nessa lista. Um estudo apontou o aumento do consumo de alimentos saudáveis como frutas, legumes e hortaliças de 40,2% para 44,6% durante a pandemia. A mudança na alimentação pode estar diretamente relacionada a uma tentativa de melhora na saúde, com reforço na imunidade, além do aproveitamento do tempo em casa com maior dedicação na preparação dos alimentos.

A pesquisa foi feita pelo Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (Nupens/USP) e foi chamada de Estudo NutriNet. De acordo com o documento o consumo de alimentos in natura ou minimamente processados fortalece os mecanismos de defesa do organismo, já a ingestão de comidas ultraprocessadas favorece o aparecimento de doenças crônicas que aumentam a letalidade da Covid-19.

Outro levantamento, da startup Mobills, também mostrou que 74,50% dos entrevistados estão gastando mais dinheiro com compras em mercado e 47,2% fastam mais com contas de água, energia e gás nesse período. A cabeleireira Débora dos Santos, 45 anos, é um desses exemplos.

“Eu acho que são duas coisas que devem ser frisadas. Eu estou gastando menos dinheiro na rua com besteiras, como biscoitinhos e café, por exemplo. Mas em casa a gente também come o dia inteiro então tenho comprado mais lanche e mais carne. Eu estou gastando bem mais em casa e parece que as crianças também sentem mais fome e comem tudo que aparece pela frente”, brincou.

A pesquisadora Kamila Gabe contou que teme por uma ‘recaída’ no cuidado com a alimentação no período pós pandemia.

“Por outro lado, também é plausível pensar que esse período tenha proporcionado às pessoas oportunidade para a aquisição de hábitos saudáveis que venham a ser ganhos permanentes, como passar a comer mais frutas, verduras e legumes ou a cozinhar em casa com maior frequência. Com o Nutrinet acompanhando esses participantes, nós teremos a opção de investigar isso em novos estudos futuramente”, frisou.

A nutricionista Alanne Azevedo reforçou a importância da alimentação ser balanceada em todos os momentos.

“Uma alimentação rica em proteínas, frutas, grãos integrais, leguminosas e oleaginosas contribuem para sensação de bem-estar. Além disso, alguns alimentos como ovos, peixes, castanhas, chocolate amargo, entre outros que sejam ricos em triptofano, ajudam a tratar especificamente a ansiedade, estresse e até mesmo a depressão. E claro, é muito importante sempre beber bastante água”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × dois =