Aula de empreendedorismo em São Gonçalo

Anderson Carvalho –

O Colégio Estadual Francisco de Paula Achilles, no bairro do Anaia, em São Gonçalo, com 202 alunos distribuídos em turmas do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, está inserida em uma das comunidades mais carentes do município e considerada área de risco. Enfrentando a pobreza, a falta de recursos públicos, a violência e a evasão escolar, um grupo de professores promove projetos de empreendedorismo e de primeiro emprego aos estudantes. Aos poucos, vão mudando a realidade dos jovens e seus familiares.

A professora Nelma Salles, de 61 anos, que leciona Artes para turmas do 6º, 7º e 8º ano do Ensino Fundamental e o Ensino Médio, desenvolveu no inicio do ano projeto que estimula os estudantes a desenvolverem seu próprio negócio. Com as duas primeiras turmas trabalhou a construção de uma brinquedoteca, utilizando materiais reutilizáveis, como papelão e folhas de jornal.

“Eles fizeram fogão, forno micro-ondas, geladeiras, bule, pia de cozinha com torneira e cestos. Vamos doar para uma creche comunitária aqui perto”, contou Nelma.

Já no 8º ano, a professora pediu aos alunos para serem empreendedores. Um grupo começou a fazer bolo de pote. Outro, pastéis e uma aluna, trufas. “Eles estão incentivando até os pais a empreenderem e conseguiram uma forma de ajudar financeiramente em casa”, relatou Nelma. Ela tem a parceria do professor Victor Machado, 37, de Geografia, que orienta os alunos da escola a criarem seus currículos e os ajudou a se cadastrarem no programa federal Jovem Aprendiz.

“Com as turmas do 6º ano, trabalhei a valorização de trabalhadores de diversos segmentos. Começando com os que atuam na escola, como o porteiro, o pessoal da limpeza, a merendeira, entre outros. As do 7º ano aprenderam sobre profissões desvalorizadas, como garis, motoristas de ônibus e caixas de supermercado. As do 8º ano aprenderam sobre o mercado de trabalho e as do Ensino Médio, ensinamos a fazer currículo e os cadastramos no programa Jovem Aprendiz, que tem cadastradas empresas como Enel, os Correios e a Caixa Econômica Federal. Elas contratam jovens a partir dos 14 anos. Em um periódo eles estudam e no outro, trabalham”, informou o professor.

Outra iniciativa uma parceria com o Instituto JCA, da Viação 1001, que oferece cursos de qualificação profissional aos quatro melhores alunos de cada disciplina. O projeto de empreendedorismo está mudando a realidade dos estudantes. Que o digam Gustavo Gerômio, 13, Isabela e Leandro Nunes Rangel, 13, do 8º ano, que fazem bolo de pote e vendem na comunidade.

“Toda semana fazemos. Vendemos 18 por dia e cada um a R$ 3,50. As vendas têm sido boas. Os lucros dividimos igualmente. Com o dinheiro que ganhamos ajudamos um pouco em casa”, relatou Gustavo, que sonha em ser ator. “O objetivo é tirar boas notas na escola. Mas, estamos também ajudando os nossos pais e aprendendo uma nova fonte de renda”, explicou Leandro, que ainda não escolheu que profissão seguir.

“A gente foi se aplicando mais e aprendendo novos sabores”, completou Isabela, que deseja ser jornalista.

Clarissa Victória Moraes, 14, aprendeu a fazer trufas e incentivou até a mãe a entrar no negócio.

“Ela estava desempregada e ficou estimulada com o projeto. Estamos vendendo bem e conseguindo uma nova fonte de renda”, contou.
O projeto de empreendedorismo envolve as turmas de Geografia, História, Filosofia, Sociologia, Português e Artes.

Além da escola do Anaia, outras da rede estadual de ensino sediadas em São Gonçalo desenvolvem projetos similares. Como o Ciep 240 – Professor Haroldo Valladão, no bairro Almerinda; o Colégio Estadual Ministro José de Moura e Silva, no bairro Rocha; o Colégio Estadual Padre Manuel da Nóbrega, em Brasilândia; e o Ciep 439 – Luiz Gonzaga Junior – Gonzaguinha, em Luiz Caçador, que passaram a funcionar em horário integral e a ofertar Ensino Médio Profissionalizante em Empreendedorismo.

A iniciativa foi por meio do Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, do Governo Federal. Além da carga horária aumentada em Português, Matemática e Inglês, os alunos que estudam em escolas que ofertam Ensino Profissionalizante em Empreendedorismo também participam do Projeto de vida e mundo do trabalho; Projeto de pesquisa com ênfase em Gestão de Projetos, entre outros conteúdos relacionados ao Empreendedorismo. Essas unidades de ensino contam com parcerias do Instituto Ayrton Senna e Sebrae para capacitação dos professores que vão atuar em sala de aula com os alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *