Assembleias terminam em confusão na Beneficência Portuguesa

As reuniões de apresentação das contas do biênio 2020/2021 da Sociedade Beneficência Portuguesa de Niterói terminaram em confusão. Os encontros aconteceram na última quarta-feira (9) e na quinta (10). Protagonizaram o embate o médico Pedro Archer, atual presidente da sociedade, e Vinícius Nery, que presidiu a Beneficência por sete anos e, atualmente, é presidente do Conselho Deliberativo.

Segundo Archer, atendendo à convocação feita pelo Conselho, ele e sua equipe jurídica e de contabilidade compareceram à sede social, na Rua Dr. Celestino, 26, para apresentar as contas. Contudo, entre a primeira chamada, às 18h, e a segunda, às 18h30, nenhum membro do Conselho Deliberativo havia aparecido.

“Tivemos duas ocasiões. No dia 9 houve uma reunião do conselho para prestar contas e no dia 10 uma assembleia geral ordinária para homologação das contas. Na do dia 9 eu levei os contadores e advogados, chegamos ao local marcado na primeira chamada e não tinha ninguém. Aguardamos para a segunda chamada e não apareceu ninguém”, disse Archer.

Ele disse que quando ele e sua equipe estavam prestes a deixar o local, Nery chegou e começou a organizar a reunião no estacionamento, que atualmente é administrado de forma terceirizada. O presidente da Beneficência acusa o adversário político de ter ameaçado sua integridade física, o que o teria levado a deixar o local.

“Quando estávamos saindo, o presidente do conselho chegou e disse, de forma violenta, que mesmo após o horário iria fazer a reunião no estacionamento. De forma agressiva, violenta, fui impedido de participar da reunião e me retirei do local para resguardo da minha integridade física. Desde que assumi a presidência da Beneficência e ele ficou no conselho deliberativo, descobri diversas inconsistências”, prosseguiu Archer.

A confusão prosseguiu no dia seguinte quando, ainda segundo Archer, seria realizada a reunião para discutir a homologação das contas que deveriam ter sido apresentadas ao conselho na quarta. Archer relata que Nery agiu de forma hostil, impedindo que a apresentação ocorresse.

“No dia 10 teria uma Assembleia Geral onde podem participar todos os sócios. Chegamos um pouco mais cedo, fizemos uma missa na capela N. S. de Fátima e, depois, os sócios iriam ao estacionamento. De novo, aconteceram diversas atitudes violentas e os sócios deixaram a assembleia logo no início e não conseguimos prestar as contas. Até com a advogada o Vinicius foi violento”, disse Archer.

Por fim, Archer afirma que irá avaliar, junto de seus advogados, quais serão os próximos passos. “A contabilidade está pronta, mas fui impedido de apresentar. Vamos ver com nossos advogados como proceder. Ele provavelmente quer utilizar essa não prestação de contas para me impugnar das eleições que acontecerão no dia 30 de março”, finalizou.

A reportagem tentou contato telefônico com Vinícius Nery para que ele pudesse se manifestar sobre os assuntos tratados no texto. Contudo, em todas as tentativas o número constava como desligado. Caso haja o interesse, o espaço permanece aberto para que o presidente do Conselho possa se manifestar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.