Assassinos arrancam orelha da vítima após execução

Augusto Aguiar

Há momentos em que a população acredita que a violência já chegou no seu limite, mas se choca quando percebe que ainda há muito sadismo por trás das ações criminosas. Na manhã de ontem, por exemplo, agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) foram acionados para a Rua Paiva de Andrade, no bairro Porto do Rosa, em São Gonçalo. No local, os policiais da especializada encontraram no porta-malas de um HB 20 branco o corpo de um homem negro, não identificado, trajando apenas bermuda.

Peritos afirmaram que a vítima, antes de ser assassinada a tiros, foi torturada pelos assassinos e inclusive teve uma das orelhas arrancada e levada pelos executores, como uma espécie de “troféu”. O crime pode estar ligado ao tráfico de drogas ou até mesmo a ação de milicianos. Até a tarde de ontem não havia informações sobre a identificação do cadáver ou de onde a vítima seria.

A movimentação policial às margens da Rodovia Niterói-Manilha chamou a atenção de vários transeuntes e de motoristas que trafegavam pela BR-101. Policiais revelaram que o HB 20, onde o corpo foi encontrado, havia sido roubado no último dia 11, na área da 72ª DP (Mutuá), o que pode ser um ponto de partida para a investigação.

Peritos e agentes da DHNSG tiveram de arrombar o veículo, estourando o vidro a machadadas para poderem realizar o trabalho. Pelo lado de fora do carro, impressões digitais foram recolhidas e encaminhadas para análise. Com relação ao cadáver, peritos explicaram que a vítima foi agredida, possivelmente com pauladas. Em seguida executada com tiros na cabeça. Não se sabe se antes ou depois a vítima teve a orelha direita arrancada e levada pelos assassinos. Em seguida o corpo foi colocado no carro e este abandonado, por volta da meia-noite de domingo, na Rua Paiva de Andrade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 4 =