Assassinatos e tráfico aterrorizam pacato bairro de Itaboraí

Augusto Aguiar

Agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) foram acionados para intervir numa onda de crimes violentos na área do 35º BPM, onde os números do Instituto de Segurança Pública (ISP), de março a agosto, indicaram alarmantes 48 homicídios dolosos (com intenção de matar) registrados ao longo da 71ª DP (Itaboraí), com 39 ocorrências, outras dias em Tanguá (70ª DP), uma em Rio Bonito (119ª DP), duas em Silva Jardim (120ª DP) e quatro em Cachoeiras de Macacu (159ª DP).

Durante o trabalho investigativo da DHNSG, os agentes atribuíram à grande incidência de assassinatos, pelo menos na então pacata localidade de Visconde de Itaboraí (área da 71ª DP), a presença de uma violenta quadrilha de traficantes que se instalou na região e tem tirado o sono dos moradores.

Segundo os investigadores, um traficante identificado como Diorge Sabino dos Santos, o Sabino, que já está com Mandado de Prisão expedido pela Justiça, foi para Visconde de Itaboraí e de lá passou a explorar a venda de drogas na localidade. Subordinada ao criminoso, uma violenta quadrilha passou a obedecer nos últimos meses as ordens de execução do traficante, que seria ligado ao Comando Vermelho (CV), vindo do bairro da Vila Kenedy, na Zona Oeste do Rio. Nos últimos meses, segundo os policiais, vários crimes violentos, além de diversas tentativas de homicídio passaram a aterrorizar os moradores e por isso investigadores da 71ª DP e DHNSG somaram forças.

Na tarde de quarta-feira os policiais prenderam Weverson Souza Garcia Terra, o DJ Bené, Josué Lopes de Sá Silva, ambos de 18 anos, e José Luiz da Silva Trindade, o Zé Luis, de 31. O trio é acusado de torturar e assassinar um morador da localidade, o mecânico Claudiomar Gomes, no último dia 9. A vítima, segundo a polícia foi sequestrada quando conversava com um amigo, levada em seu próprio carro (modelo Monza), depois torturado, executado a tiros, tendo o corpo incendiado junto com o veículo.

A mesma quadrilha, a qual pertencem os três acusados e é comandada por Sabino, está sendo investigada por pelo menos mais oito assassinatos e diversas tentativas de assassinatos apenas em Visconde de Itaboraí. Pode ser que o número seja ainda mais elevado. Os crimes teriam sido cometidos por motivos fúteis, segundo os agentes, o que está gerando grande tensão na então tranquila localidade, sendo que parte dos envolvidos seriam de fora da região e outros oriundos do local que teriam passado a ter envolvimento.

“Os moradores estão muito assustados porque Visconde era muito tranquila, uma comunidade com hábitos rurais. Teve o caso de um casal, que foi sequestrado e colocado no porta-malas de um carro para ser executado pelos criminosos. Mas uma das vítimas (um homem) conseguiu escapar, tomar a arma de um dos bandidos, trocou tiros com os marginais e assim não foi morto. Esse homem procurou a 71ª DP e relatou a ocorrência”, explicou um policial. Essa foi apenas uma das tentativas de homicídios registradas na região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + quatro =