Assassinato de motorista de Uber estarrece Zona Norte

Augusto Aguiar –

“Isso foi um ato de covardia dos traficantes. O motorista estava trabalhando. A violência está chegando a um ponto que não estamos mais aguentando. Todos os dias nos assustamos com essas ocorrências. Poderia ser qualquer um de nós. Muito triste isso”. O desabafo de um morador da Zona Norte resume o sentimento na região, sobretudo após mais uma ocorrência que chocou a população. Ao entrar num dos acessos à comunidade da Palmeira, no Fonseca, no início da noite de quarta-feira, o motorista do aplicativo Uber, David Francis Silva Soares, de 38 anos, foi cercado por traficantes e assassinado a tiros. Com grande comoção, a vítima foi sepultada na tarde de ontem, no Cemitério Parque da Paz, no Pacheco, em São Gonçalo.

O corpo da vítima foi colocado no porta-malas de seu próprio veículo, um Cobalt branco, placa de São Gonçalo, abandonado na Rua Doutor Nelson Pena, na altura do número 46. A frieza e a covardia dos assassinos chocou os moradores, que pediram mais policiamento na região, onde traficantes fortemente armados já estariam intimidando e ameaçando os moradores, sem falar no fato de que além de venderem drogas, os mesmos ainda estariam praticando assaltos, tornando a rotina das pessoas num pesadelo quase diário. O crime passou a ser investigado pela Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, e Itaboraí (DHNSG). Ao serem informados do crime, PMs do 12º Batalhão foram acionados e localizaram o corpo da vítima. Os policiais apuraram no local que, por volta das 17 horas, a vítima teria entrado pelo Rua São Januário e alvejada por traficantes da comunidade da Palmeira por ter entrado na comunidade sem abaixar os vidros e acionar o alerta do carro. Em seguida, os bandidos (ligados a facção TCP) retiraram o corpo do local, levando-o carro para a Rua Dr. Nelson Pena, segundo fontes policiais, território de rivais ligados ao Comando Vermelho, na Engenhoca.

De acordo com a equipe de investigação da 78ª DP (Fonseca), traficantes do Morro da Palmeira já eram alvo de investigação da distrital, por conta de denúncias sobre roubos a transeuntes, de veículo e vendas de drogas. Em um dos trabalhos de levantamento da distrital, criminosos que teriam envolvimento na morte do motorista, também estariam ligados a uma guerra pelo controle do tráfico na região, onde inclusive moradores já teriam sido expulsos da comunidade e suas casas invadidas pelos criminosos. Numa rede social, a irmã de David deu a triste notícia: “Venho comunicar aos amigos que meu irmão David faleceu hoje, mais uma vítima da violência”.

Categoria vem sofrendo com ataques
O assassinato do motorista do aplicativo ocorreu cerca de uma semana após outra ocorrência do gênero, dessa vez em São Gonçalo, onde outro profissional do Uber foi atacado a tiros, quando entrou desavisadamente, dessa vez na comunidade conhecida como Lodial, no Boaçu. Durante o ataque, o motorista, de 60 anos, foi baleado no abdômen, internado e operado no Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG).

Em abril do ano passado, outro motorista do aplicativo foi encontrado morto no bairro da Engenhoca, na Zona Norte de Niterói. Os policiais do 12º Batalhão foram acionados e encontraram Giliard de Oliveira Urbano próximo de seu carro. A vítima teve seus pertences roubados e fora assassinada em seguida. Na Zona Norte do Rio, em março deste ano, um outro motorista do mesmo aplicativo morreu no bairro do Andaraí. O corpo de Jussan Rodrigues da Costa Alves Lima, de 27 anos, foi encontrado no interior do veículo com várias marcas de tiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dois =