Assaltos em sequência em postos de combustíveis

Raquel Morais

Em menos de dois meses pelo menos seis postos de combustíveis da Zona Norte de Niterói foram alvo de ações criminosas. Frentistas foram assaltados em todas as situações e a onda de pânico entre esses trabalhadores reflete a sensação de insegurança na cidade. Medo de trabalhar e mudança de horário são alguns dos problemas identificados pelos funcionários, que são todos da mesma rede de postos.

O primeiro assalto foi no dia 1º de novembro, por volta das 20h, no Posto Marinheiro, na Rua Dr. March, no Barreto. No dia 25 do mesmo mês, às 15h38min, o Posto Novo Rio, na Rua Benjamin Constant, foi o alvo da vez. Mas em dezembro a ousadia dos bandidos foi maior e o posto Marinheiro foi novamente palco das ações criminosas, no dia 3, às 15h36min. Dois dias depois o Novo Rio tornou a ser assaltado às 16h e no dia 11, às 18h10min. Completando os seis assaltos o mesmo Novo Rio foi novamente o escolhido no último dia 17. Ao todo foram roubados R$ 4.620.

Por conta dos repetidos assaltos até um funcionário do posto Novo Rio, que trabalhava no turno da tarde, foi transferido para o Marinheiro no turno manhã.

“Ele estava em pânico de atender motociclistas e observamos que ele estava realmente com o psicológico afetado”, explicou um supervisor que preferiu não se identificar. “Temos situações distintas. A nossa dificuldade financeira por conta da crise que o país está vivendo e é a ousadia dos bandidos que não tem tamanho. Ainda temos a falência pública do Estado e estamos totalmente desprotegidos”, completou Ronaldo Castro, um dos donos da rede de postos.

Todos os casos foram registrados na 78ª DP (Fonseca) e imagens de câmeras de segurança foram entregues aos civis para ajudar nas investigações. De acordo com os vídeos, os assaltos foram feitos por dois motociclistas e por homens em um carro vermelho. Já funcionários informaram que são as mesmas pessoas que estão atuando, armadas, nessas ações.

“A Zona Norte é um ponto de atenção no que se refere ao aumento da presença policial por conta da incidência criminosa ser grande. Vou trabalhar em cima dessas denúncias e vamos visitar esses postos que têm sofrido esses roubos para aproximação dessas pessoas a fim de reduzir essas números”, se comprometeu o coronel Márcio Rocha, comandante do 12º BPM (Niterói).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *