Assalto a motorista de app termina com um morto

Vítor d’Avila

Uma perseguição policial teve troca de tiros, um suspeito de roubo morto e outros dois presos, na madrugada de terça-feira (23), no bairro Itapeba, em Maricá, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O trio teria assaltado e amarrado um motorista de aplicativo, momentos antes do confronto com policiais militares.

Agentes do 12º BPM (Niterói) foram acionados via 190 para atender ocorrência na Estrada do Caxito, na qual um homem estava amarrado. Chegando ao local, os militares libertaram o homem, que afirmou ser motorista de aplicativo e havia sido roubado por três homens, que levaram seu carro, celular e carteira.

De acordo com informações do batalhão, os policiais que estavam na ocorrência foram alertados pelo Serviço de Monitoramento da Prefeitura que o automóvel, modelo Chevrolet Prisma, estava saindo do Centro de Maricá, indo em direção à Rodovia RJ-106 pelo Flamengo.

Enquanto levavam a vítima à delegacia, a fim de registrar a ocorrência, a viatura, que passava pela RJ-106, sentido Maricá, viu os criminosos passando em sentido contrário. A equipe fez o retorno e, quando os agentes se aproximaram, os bandidos tentaram fugir pela Rua Santos Delarolli, paralela a rodovia, atrás de uma loja.

Os criminosos pararam o carro e um deles atirou nos policiais, que revidaram. Durante a troca de tiros, um dos suspeitos acabou sendo baleado e os demais detidos em flagrante. Não houve registro de outros feridos na ação. Os policiais recuperaram o carro, além de apreender um revólver calibre 38 e dois aparelhos celulares.

O suspeito baleado ainda estava com vida quando foi acionado socorro do Corpo de Bombeiros, entretanto, momentos depois, ele acabou não resistindo ao ferimento. Ele não estava com documentos, mas era conhecido como “Caio” por seus comparsas, que acabaram presos em flagrante.

O caso foi registrado pela Delegacia de Homicídios de São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG), que enviou uma equipe de perícia ao local do confronto. Em seguida, o corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML), onde aguarda por reconhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × quatro =