Assaltante de ônibus da RJ-104 é preso

Policiais da 78ª DP – Fonseca prenderam em flagrante no início da tarde desta terça-feira (12), Bruno Santos de Assis, de 26 anos, e Wellington Pinto Fermiano, de 42 anos, depois de um assalto no ônibus da linha 7721D da Viação Fagundes, na altura do bairro Novo México, em Niterói. Na ocasião foi apreendido um simulacro de arma de fogo, telefones celulares e dinheiro que eram produto do roubo ocorrido logo cedo. Os agentes estimam que os acusados tenham feito perto de uma centena de vítimas nos ônibus que trafegam pela RJ 104, nos últimos meses.

Conforme reportagem de A TRIBUNA e diante do aumento do índice dessa modalidade criminosa, os agentes da distrital intensificaram as investigações de roubos à coletivo na região. No decorrer do trabalho identificaram, através das câmeras de monitoramento interno dos ônibus, que a maioria das ações ocorridas era praticada pelo mesmo homem.

Os policiais decidiram divulgar as imagens dos roubos na imprensa local com o intento de contar com a colaboração da população para identificarem o autor, até então desconhecido. Na manhã de ontem, após a publicação de manchete de A TRIBUNA, a distrital recebeu diversas informações anônimas que acabaram com a prisão da dupla, no bairro de Santa Bárbara, e onde foram encontrados o simulacro e os objetos recuperados do roubo ocorrido nessa manhã. Na delegacia Bruno foi reconhecido pelas vítimas.

Apesar de não aparecer nas imagens dos roubos, Wellington, vulgo Ratão, prestava auxílio intelectual nos crimes. “Era ele quem definia as ações e levava Bruno em seu carro nos pontos de ônibus e o resgatava após os roubos. Além disso, era Ratão quem ficava encarregado de vender os telefones e objetos roubados para um receptador que já está sendo identificado pelos agentes. Ao final ambos dividiam os lucros”, afirmou a Polícia na ocorrência.

O delegado Titular da delegacia solicita ainda que as vítimas de roubo em interior de coletivo nas imediações da RJ 104 compareçam na distrital para procederem ao reconhecimento dos presos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 3 =