Arte na Rua apresenta Robertinho Silva

Neste domingo, 01 de julho, às 11h, a varanda do Centro Cultural Paschoal Carlos Magno recebe o baterista e percussionista Robertinho Silva, em mais uma edição do projeto Arte na Rua. Sob a influência do baterista Edison Machado, criador do estilo “samba no prato”, e da música negra, Robertinho mantém vivo o singular repertório da percussão brasileira.

Nome fundamental quando o assunto é a fusão do jazz com a música brasileira, Robertinho Silva fará, no Arte na Rua, um apanhado de seis décadas dedicadas à música, entre repertório autoral, canções do Clube da Esquina e músicas que influenciaram sua trajetória. Instrumentista e compositor autodidata, o carioca Robertinho Silva começou tocar bateria ainda criança influenciado pelos principais bateristas do samba e da bossa nova. Participou pela primeira vez de uma gravação de estúdio em 1964, com Cauby Peixoto. De 1969 a 1972, tocou percussão e bateria para Milton Nascimento – com quem trabalhou por 26 anos, Taiguara, Gal Costa, Roberto Carlos, Marcos Valle e Gilberto Gil, entre outros.

Entre 1970 e 1974, participou da banda Som Imaginário, que tinha Wagner Tiso, Luiz Alves, Zé Rodrix e Tavito. Depois gravou e tocou com grandes nomes da música nacional e internacional e participou de vários festivais de música importantes, como os de New Port, Berlim, Free Jazz Festival, JVC New York, Montreaux, Midem, entre outros.

Morou nos Estados Unidos de 1974 a 1978, onde acompanhava Airto Moreira, Egberto Gismonti, Flora Purim, Moacir Santos, Wayne Shorter, Carl Tjader, Peggy Lee, Shelly Manny, Sarah Vaughan, George Duke, Ron Carter e Egberto Gismonti. Lançou seu primeiro disco solo, Música Popular Brasileira Contemporânea, em 1981.

Em 1997, fundou o Centro de Percussão Alternativo Robertinho Silva, no Rio de Janeiro (RJ), e no ano 2000 lançou o álbum Jaquedu com Ney Conceição. Hoje, segue em carreira solo e pesquisa ritmos folclóricos de todas as regiões do Brasil. Também ministra cursos, seminários, oficinas e workshops e toca na Família Silva, ao lado do filhos Ronaldo, Vanderlei, Pablo e Thiago.

A entrada é gratuita e classificação indicativa é livre. O Centro Cultural Paschoal Carlos Magno fica no Campo de São Bento, em Icaraí.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − três =