´Arrastão do Bem´começa na Zona Sul de Niterói

Augusto Aguiar –

Muitos moradores e comerciantes, que não tinham conhecimento do Arrastão do Bem, promovido pelo 12º BPM (Niterói), estranharam, na manhã de sexta-feira (8), um contingente de pelo menos 70 policiais percorrendo as ruas do bairro de Santa Rosa, ouvindo a população sobre os problemas da área de segurança que mais os afligiam no dia a dia. O projeto, que começou pelo bairro da Zona Sul da cidade, percorrerá pontos diferentes semanalmente, realizando um mapeamento, como se a PM fizesse uma espécie de “diagnóstico” para ministrar diferentes soluções de segurança para pontos distintos e particulares de cada localidade do município. A estreia da iniciativa em Niterói foi comemorada pelo novo comandante do 12º BPM, tenente-coronel Márcio Guimarães, que promoveu a ação em Três Rios e Volta Redonda. Em Niterói foram distribuídos panfletos com telefones úteis do batalhão para denúncias.

“Foi uma surpresa muito boa para nós comerciantes, que estávamos nos sentindo abandonados pelo poder público. Acho que o trabalho correto da polícia é esse, de aproximação com a comunidade a qual atende. Não podemos ficar expostos a toda sorte de criminosos. Nossa rotina está muito difícil. A violência está crescendo cada vez mais no Estado. Precisamos de uma iniciativa que tente conter isso senão corremos o risco de não ter mais o controle da situação”, afirmou o proprietário de um bar, na Rua Noronha Torrezão, que preferiu não se identificar, acrescentando que estava pensando em vender o estabelecimento, pois ele e sua família temem pela escalada da violência.

“Percebemos à noite ações de criminosos em bares. Isso já foi veiculado pela imprensa, e percebemos também uma diferença no aumento dos roubos de rua. Esse é o nosso foco principal aqui. Vamos colocar o policiamento de forma que possa baixar esse roubo de rua. Por isso preferimos primeiro atuar nessa região”, declarou Márcio Guimarães.

Coordenando pessoalmente o trabalho de seus policiais, o comandante do 12º BPM destacou a receptividade da população nas ruas que percorreu.

“Teve gente que veio perguntar para nós se houve algum assalto ou outro problema. Em geral as pessoas estão aceitando muito bem o contato com o policial. Obviamente nós treinamos os policiais para vir pra cá. Estamos mudando a cabeça deles no sentido que eles precisam fazer mais a aproximação comunitária, porque isso é positivo não só para nossa imagem, como para coleta de informações. Não tem como a polícia ter informações que não sejam através do povo. A gente tem que entender que o policial militar tem que estar 24 horas em contato com a comunidade, colhendo informações. A polícia não tem bola de cristal (costumo falar isso). Tem gente que fala: todo mundo sabe que na rua tal está tendo roubo. Como é que a gente vai saber, se ninguém falar pra nós? Não tem como saber. A não ser que naquela comunidade more um policial militar”, detalhou o tenente-coronel Guimarães.

O novo comandante ressaltou que passou a ser responsável pelo policiamento em um território extenso, que inclui o município de Maricá, e composto por localidades que demandam várias modalidades de patrulhamento. Algumas apresentam problemas graves, que precisam ser enfrentados com estratégia específica.

“Em Niterói há várias modalidades de policiamento. O fixo é o policiamento de radiopatrulha. São subsetores onde uma viatura, que fica 24 horas fazendo o atendimento das ocorrências geradas pelo serviço 190 (ocorrências de emergência). Aqui em Santa Rosa tem um setor que atende 24 horas, mas a gente também tem o policiamento da motopatrulha (são duas que circulam aqui, nos turnos da manhã e da tarde). Tem ainda a atuação da ApTran (Autopatrulha de Trânsito), que tem eventualmente aqui. Temos ainda por aqui o Pamesp Escolar e o Bancário. Santa Rosa já tem um determinado patrulhamento, mas a gente precisa ver se os locais e os horários são adequados com essa demanda, que nós não temos o conhecimento pleno da mancha negra, que não são comunicadas, nem para a Polícia Civil, nem para a Militar. A gente vai sempre fazer isso para adequar o policiamento”, detalhou.

Maricá – Márcio Guimarães confirmou que toda semana uma localidade será visitada por seus comandados e que a cidade de Maricá, servida também pelo 12º BPM (6ª Cia) deve ser a próxima região a receber o Arrastão do Bem. Ele também informou que o bairro do Fonseca (Zona Norte) possui problemas “graves” e será visitado em seguida. Mas ainda não há uma data. Tudo vai depender da demanda e emergência da situação.

“Estou fazendo um planejamento de toda sexta-feira fazer o Arrastão do Bem. Como eu tenho uma área muito extensa, preciso dar uma atenção a uma determinada comunidade, na semana que vem em Maricá. Depois a gente retorna pra cá (Niterói), e provavelmente a gente vai atuar no Fonseca. Ali a gente tem problemas graves e vai planejar a operação pra lá. Nós atuaremos também por demanda que solicitem o Arrastão do Bem. Vamos procurar dar prioridade também aos pedidos. O planejamento será volátil e mutante”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 4 =