Aposta do PDT para o Governo do Estado, Pedro Fernandes abre mão de regalias

Wellington Serrano –

O deputado estadual Pedro Fernandes, de 35 anos, é a aposta do PDT para o Governo do Estado para uma melhor qualidade de vida aos fluminenses. Entre várias propostas, como criar uma força tarefa na segurança, continuar com as UPAs e acabar com as vistorias do Detran e a versão impressa do Diário Oficial do Estado, tem como prioridades a segurança pública, a educação, o interior e o combate à corrupção, através de uma Secretaria de Controle Interno. Ele esteve na redação de A TRIBUNA na última quinta-feira (23) e falou de suas ideias para fazer o governo voltar a avançar.

“Abri mão de carro oficial, celular, selo e vaga de estacionamento. Não dá para aceitar mordomias com dinheiro público. No meu governo isso vai mudar”, declarou.

Pedro Fernandes acredita que o Estado tem jeito. Ele disse que quatro anos é tempo suficiente para desburocratizar a gestão com competência, ética e transparente e fazer a máquina pública voltar a funcionar.

“Vamos acabar com essa cultura das grandes obras e das grandes construções. Nosso legado é fazer o que tem funcionar. Quando tudo estiver funcionando direito, ai sim, poderemos pensar em construir alguma coisa”, destacou.

Para a segurança, afirmou que o Estado precisa reverter essa situação.

“Para isso, investiremos em inteligência e tecnologia. Além disso, vamos chamar os policiais que prestaram concurso da PM e da Polícia Civil para colocar o efetivo nas ruas e nas delegacias”, ressaltou.

Minirreforma nas pastas

Pedro Fernandes anunciou que vai extinguir seis secretarias e falou sobre o desafio das contas públicas.

“O problema do Rio não é falta de dinheiro, é falta de gestão e de estabelecer prioridades. Não dá para continuar gastando R$ 1,1 bilhão em contratação de cargos comissionados e gratificações especiais, quando é possível reduzir mais de 55% e economizar cerca de R$ 580 milhões. Não dá para continuar gastando mais de R$ 2 bilhões em contratação terceirizada, quando é totalmente possível reduzir pelo menos 25%, gerar uma economia de mais de R$ 500 bilhões e valorizar o servidor público para que a gente possa também exigir uma melhor prestação do serviço público”, explicou o político.

Educação

Segundo ele, caso eleito, reabrirá os Cieps, popularmente chamados de “Brizolões”.

“Se esses milhões que estão sendo gastos fossem utilizados para dar melhores condições de trabalho para os nossos policiais, contratar mais polícias para ficarem nas ruas e nas delegacias fazendo policiamento preventivo e investigativo, investir em inteligência e tecnologia para evitar os crimes e prendermos os grandes traficantes e milicianos, que não estão nas favelas e sim nas áreas mais nobres, controlar os limites do estado (fronteiras) para dificultar a entrada de drogas e armas e, principalmente, investisse em educação integral e de qualidade para reter e gerar oportunidade para esses jovens, teríamos resultados muito diferentes. Se tivessem dado continuidade na política de Brizola e Darcy, teríamos outra realidade”, declarou.

Prioridades

A proposta do candidato é manter as UPAs.

“Me preparei a vida inteira para essa oportunidade. Fiz quatro pós-graduações em gestão, mestrado e estou terminando um doutorado agora. Além ter sido secretário cinco vezes, conheço administração pública. O que a gente precisa é justamente de um gestor que tenha a visão de priorizar os gastos essenciais e acabar com o supérfluo. Temos que focar em saúde, segurança e educação, que são o que a população quer e precisa”, realçou.

Sobre o interior ele disse que não há Estado forte com interior fraco.

“Vou potencializar as vocações dos municípios. A Região dos Lagos, por exemplo, sofre, nos últimos anos, com o aumento da violência, o que provocou a queda no turismo. Potencializar ações na área é essencial, assim como fomentar a pesca artesanal, importante política de investimento da região, e retomar o protagonismo da indústria de extração de sal marinho. Todas essas medidas vão aquecer novamente a economia regional, que teve uma redução de 10% na oportunidade de emprego”, afirmou.

Biografia

Pedro Fernandes é filho da vereadora do Rio de Janeiro Rosa Fernandes. Com mestrado na Fundação Getúlio Vargas, pós-graduação em Políticas Públicas no Iuperj e cursos de extensão nas universidades de Harvard (Estados Unidos), Salamanca (Espanha) e George Washington, também nos Estados Unidos. É professor universitário e formado em Odontologia. No terceiro mandato como deputado estadual do Rio de Janeiro, assumiu a Secretaria estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, em 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 2 =