Após morte de mentor de roubos de carga e veículos, crimes zeram na BR-101

Tempos de calmaria para motoristas e caminhoneiros que trafegam pelo trecho Niterói-Manilha da Rodovia BR-101, na altura de São Gonçalo. Segundo informações da Polícia Militar, desde a última sexta-feira (11), até a manhã de ontem (14), não houve registros de casos de roubos de carga ou veículos, ao longo do trecho gonçalense da via.

De acordo com levantamento feito pelo setor de inteligência do 7º BPM (São Gonçalo), uma das possíveis razões para o recuo da criminalidade é a perda do “cérebro” dos roubos na estrada. Na última sexta-feira, o traficante conhecido como “Trem Bala do Catarina” morreu em confronto com militares do batalhão.

Naquele dia, uma equipe do Grupamento de Ações Táticas (GAT) realizava patrulhamento pela Avenida Albino Imparato, no Jardim Catarina, quando foi confrontada por criminosos em um carro, modelo Honda HR-V. Houve revide e, durante o confronto, “Trem Bala” acabou baleado e não resistiu. Além do carro, foram apreendidas uma pistola, granada, rádio transmissor e drogas.

Segundo informações levantadas pelo departamento de inteligência do batalhão, o criminoso era o responsável por arquitetar roubos de carga e automóveis na BR-101, assunto que, recentemente, foram temas de reportagens em A Tribuna. De acordo com o tenente-coronel Gilmar Tramontini, comandante da unidade, o lucro obtido com os roubos era revertido para o fortalecimento do tráfico.

“A inteligência indica ele como sendo o principal responsável pelos roubos de carro e carga. Quando ele não executava pessoalmente, dava todo o suporte. Para poder capitalizar e investir em armas e drogas. Ele agia fatalmente na BR”, afirmou o comandante do 7º BPM.

Ainda segundo Tramontini, “Trem Bala” era braço direito do traficante conhecido como GB, atual “frente” do tráfico no Jardim Catarina. “Ele era o braço direito do GB, a inteligência mostra isso. Ele puxava os roubos na BR, era responsável por isso. O GB é o Gabriel, conhecido como Flamengo, frente do Catarina”, completou.

Dinâmica dos crimes

O batalhão apurou que a base do tráfico, para efetuar os roubos na BR-101, era na região da Ipuca, também no Jardim Catarina. Os roubos aconteciam entre o complexo prisional de Guaxindiba e a comunidade do Salgueiro. Os criminosos saíam de uma área de mata, na altura da Rua Fernando Lassali e fechavam a pista da rodovia.

Últimos casos

Ainda segundo a PM, o último caso de roubo de veículo na rodovia aconteceu um dia antes da morte de “Trem Bala”, na quinta-feira (10). Uma motocicleta, modelo Honda XRE, foi roubada, por volta de 19h30min, na altura do km 310 da rodovia, no sentido Itaboraí, por dois criminosos armados, que fugiram levando o veículo.

Já o último caso de roubo de carga aconteceu na segunda-feira da semana passada, dia 7. Na manhã daquele dia, por volta de 9h40min, um caminhão com carca de peixes, avaliada em R$ 13,2 mil, trafegava pela Niterói-Manilha sentido Rio de Janeiro, altura do km 304, quando oito bandidos, armados com pistolas e fuzis, fizeram a abordagem fechando a via com um carro e obrigando que fosse feito o transbordo no interior da comunidade. Os funcionários, depois, foram libertados com o caminhão e nada sofreram.

Policiamento dobrado

Em virtude da grande quantidade de crimes do tipo que assolou a região, especialmente ao longo dos últimos meses, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) chegou a anunciar que o policiamento na Niterói-Manilha seria dobrado. Cabe ressaltar que houve registro de diversos arrastões, no mês passado, na altura do km 304 da via, um dos pontos mais sensíveis para as ações criminosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 10 =