Após cassação, cresce expectativa para prisão de Flordelis

Flordelis dos Santos de Souza não é mais deputada federal e, com isso surge uma dúvida: a pastora e cantora gospel será presa? A acusada de ser a mandante da morte de seu marido escapou das grades, em agosto de 2020, por possuir imunidade parlamentar, que ela perdeu, junto com seu mandato, após votação realizada, na quarta-feira (11), pelo Plenário da Câmara. Todos os demais réus pelo homicídio, incluindo familiares de Flordelis, foram encarcerados.

A reportagem de A TRIBUNA apurou com fontes ligadas à Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG), responsável pela investigação do caso, que um eventual pedido de prisão teria que ser solicitado pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) à Justiça. No entanto, em caso de emissão do mandado de prisão, a especializada deve ser acionada para que suas equipes façam o cumprimento.

Consultado, o MPRJ afirmou, na manhã desta quinta-feira (12), que a “Promotoria de Justiça junto à 3ª Vara Criminal de Niterói informa que se manifestará nos autos do processo, no momento que for notificada”. Além disso, o Ministério Público informou que irá atualizar as informações quando disponíveis. Importante ressaltar que o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MP também está no caso.

Antecipando-se ao MPRJ, a assistência de acusação do processo, representada por Jorge de Souza, pai de Anderson do Carmo, ingressou, na Justiça, com pedido de prisão de Flordelis. A petição, assinada pelo advogado Ângelo Máximo, utiliza como argumento a perda do mandato de deputada federal e, como consequência, o fim da imunidade parlamentar, que impediu sua prisão em 2020.

Em nota, a defesa de Flordelis afirmou que “o pedido era esperado, faz parte do enredo acusatório punitivista do MP e Assistência de Acusação. A Defesa da Deputada, em função dos requisitos legais para se obter a prisão, confia que o Tribunal se aterá a lei e garantirá a Deputada Flordelis o direito de permanecer em liberdade até o Plenário do Júri, quando os jurados , únicos com legitimidade constitucional para julgar, decidirão.”

Resolução que determina cassação foi publicada no Diário Oficial – Foto: Reprodução

Até a manhã desta quinta-feira, não havia, nos autos do processo em que Flordelis é acusada, movimentações no sentido de solicitar eventual prisão. A cassação da ex-parlamentar já foi publicada no Diário Oficial da Câmara dos Deputados. De acordo com consulta feita ao Bando Nacional de Mandados de Prisão (BNMP), não há nenhum mandado em aberto em nome de Flordelis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.