Após arrastão, PRF dobra policiamento na Niterói-Manilha

Após arrastão, que terminou com dois carros roubados no sábado (1º), na Rodovia BR-101 (Niterói – Manilha), na altura de Santa Luzia, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou reforço no patrulhamento. Mesmo com as medidas tomadas pelas forças de segurança a fim de reprimir atuação de criminosos na região, a falta de segurança ainda é motivo para reclamação de motoristas. De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), casos de roubos de veículo permanecem em alta na região.

Na manhã de segunda-feira (3), a Polícia Rodoviária Federal afirmou, por meio de nota, que dobrou o patrulhamento no trecho da rodovia, a fim de reprimir novos casos como o de sábado.

“Foi implementada uma operação especial com aumento do efetivo em mais de 100% por dia para patrulhamento ostensivo dinâmico e estático”, disse a corporação.

Segundo a PRF, por razões estratégicas, não é possível divulgar o número exato de policiais e viaturas destacados. Ainda assim, motoristas que trafegam, diariamente, pela Niterói-Manilha, ainda relatam sensação de insegurança, ao passar pela estrada. Para o profissional autônomo Manoel Vitor, de 31 anos, o medo ainda predomina, quando precisa usar a via. Ele relata já ter presenciado três arrastões. No último deles, há cerca de um mês, o trabalhador teve uma arma apontada para seu rosto.

“Já presenciei arrastão umas três ou quatro vezes. O bandido botou uma arma na minha cara, mais ou menos um mês atrás, mas não levaram nada. Iam roubar meu carro, desistiram e foram embora. todo dia passo por aqui, tenho uma empresa em Itaboraí e moro em Niterói. Tem que ter mais polícia nas ruas, guarda, patrulha, alguma coisa para melhorar”, relatou.

Entretanto, há quem avalie positivamente o trabalho da polícia, mas na certeza de que ainda há muito que melhorar. O motorista José Duarte, de 62 anos, recorda que, além da PRF, a Polícia Militar, por meio das Rondas Especiais e Controle de Multidões (Recom), auxilia no patrulhamento da rodovia. Para ele, isso ajudou a diminuir casos de assalto na Niterói – Manilha.

“De noite não fica quase policial na estrada. Assalto até melhorou com a chegada da Recom, mas o assaltante vem na hora que a polícia não está. A polícia passa de um lado [da rodovia] e o assaltante rouba do outro”, pontuou.

Indicadores permanecem em alta na cidade

Ainda assim, os indicadores de crimes de roubo de veículo seguem em alta nas circunscrições de delegacias que abrangem a extensão BR-101, no município de São Gonçalo. Os dados mais recentes, referentes ao mês de março, foram divulgados, na última semana, pelo Instituto de Segurança Pública (ISP).

Na área da 72ª DP (São Gonçalo), o mês de março fechou com 56 casos, contra 58 no mesmo período, ano passado. Uma leve redução de 3,4%. Entretanto, no acumulado dos primeiros três meses do ano, 2021 está com 187 ocorrências, contra 141, no ano anterior, o que significa alta de 32,6%.

Já na circunscrição da 73ª DP (Neves), tanto o mês, quanto o acumulado, fecharam em alta. Março de 2021 fechou com 58 registros, ante 50 no mesmo mês, em 2020. Já em relação ao acumulado do ano, a região possui o maior aumento das que abrangem a Niterói – Manilha. Neste ano, são 172 ocorrências, contra 122 nos três primeiros meses de 2020. Alta de 41%.

Em relação à área da 74ª DP, que engloba regiões como o Jardim Catarina, o mês de março fechou com aumento de 9,8%, com 90 casos neste ano ante 82 em 2020. Levando em consideração o acumulado do ano, a região da distrital é a única que apresenta queda: total de 248 registros nos três primeiros meses deste ano, contra 259 no mesmo período, em 2020.

Criminosos do Rio – Segundo o delegado Alan Duarte, titular da 72ª DP, há uma expansão nas atividades do tráfico no Complexo do Salgueiro e outras comunidades, tendo inclusive um gerente designado para administrar os roubos de veículos. O delegado ainda explicou que os carros roubados são usados para diferentes finalidades, de deslocamento dos próprios criminosos até desmanche. Ele também confirma que há suspeita de participação de bandidos do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, onde a organização criminosa existente no Salgueiro possui “tentáculos”.

“Algumas comunidades, além de operarem com o tráfico de drogas, agora têm gerente do roubo de veículos e estão diversificando a atividade deles. Essas pessoas estão sendo identificadas também e terão mandados de prisão expedidos. A gente já tem investigações e muitas pessoas identificadas. Esses veículos são roubados por alguns criminosos de comunidades da região, não só Salgueiro, e estão sendo identificados através do trabalho de inteligência. Os veículos são utilizados para desmanche, roubos de outros veículos e circulação. Tem criminosos que vêm se deslocando do Rio de Janeiro, na Maré, para praticar roubos nessa região da mesma facção”, pontuou.

Vítor d’Avila

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + 3 =