Após abrigar o Legislativo Fluminense por mais de 60 anos, Alerj dá adeus ao Palácio Tiradentes

Dia 1º de julho de 2021 é uma data que vai ficar marcada na história do estado do Rio de Janeiro. Isso porque nessa data a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro realizou sua última sessão no Palácio Tiradentes. A partir de agosto, a sede do parlamento fluminense será em um prédio localizado na Rua da Ajuda e que foi sede do extinto Banco do Estado do Rio de Janeiro, o Banerj.

Conhecido por anos como “Banerjão”, a nova sede vai abrigar o plenádio da Assembleia Legislativa, que passa a ter um espaço 25% maior do que o dedicado às sessões legislativas na antiga sede. O custo da adaptação foi de R$ 1 milhão. Já o sistema de áudio do prédio, que contempla o plenário, custou aproximadamente R$ 800 mil. Mas não será apenas o plenário que vai para o novo local.

O prédio, que já está sendo chamado de “Alerjão”, também vai abrigar as funções administrativas que eram divididas entre um prédio na Rua da Alfândega e um anexo na Praça XV, ambos no Centro. Com a mudança, todos os setores do Legislativo passarão a trabalhar de forma integrada e os serviços serão modernizados.
As obras da nova sede tiveram início em 2018 e foram concluídas em junho deste ano. São 31 andares e três subsolos. Cada um dos gabinetes terá aproximadamente 100 metros quadrados. O custo total da obra foi de R$ 161 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.