Aplicação de multas cai 80% em Niterói no período da pandemia

Desde que o município de Niterói começou a luta contra a pandemia da Covid-19, muitas medidas tiveram que ser tomadas pelo poder público para a redução dos casos da doença na cidade. E a baixa circulação de pessoas, as barreiras em pontos estratégicos do município e o próprio isolamento social automaticamente influenciaram na quantidade de veículos nas ruas. Dados divulgados pela Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans) apontam que as aplicações das multas de trânsito diminuíram 80%, em março e abril, e o serviço de reboque está suspenso desde o dia 13 de março.

A pandemia interferiu muito pouco no serviço da autarquia na cidade e apenas três agentes da NitTrans estão em casa, por recomendação médica, por estarem acima dos 60 anos. Atualmente 290 funcionários estão trabalhando e 180 agentes de trânsito atuam nas ruas da cidade: 80 de manhã, 70 a tarde e 30 na madrugada. A redução na circulação de veículos em Niterói chega aos 70% e com isso o número de acidentes de trânsito também diminuiu em 90%.

“Os agentes estão trabalhando nos bloqueios em dois turnos e fornecemos álcool em gel, máscaras e luvas para evitar a contaminação. Temos que cuidar da cidade. Nós não podemos abandonar nesse momento”, explicou o coronel Paulo Afonso, responsável pela NitTrans.

As barreiras foram montadas no Centro (duas), no Trevo de Maria Paula, Jurujuba, Região de Pendotiba e no Barreto. Justamente esses locais são onde estão sendo aplicadas as multas em sua maioria. O secretário informou que o serviço de reboque na cidade está suspenso desde 13 de março.

“Por questão humanitária não estamos removendo veículos. O reboque é uma medida administrativa que se faz quando o carro está em local proibido ou atrapalhando uma saída. Assim que acabar a pandemia e os veículos voltarem para as ruas, vamos voltar com o reboque. É importante para organizar o trânsito. Praticamente só estamos lavrando auto de carros nas praias, que estão interditadas, e alguns casos de fechamento de garagem”, ponderou.

Afonso ainda frisou que esse é o momento de ficar em casa.

“Estamos em um período triste de mortes de muitas pessoas. No trânsito foi a melhor medida de engenharia de tráfego das barreiras que poderíamos ter feito. Fique em casa”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *