Aos 93 anos, ‘Piruinha’ é preso por homicídio

José Escafura, o “Piruinha”, de 93 anos, apontado como um dos bicheiros mais antigos do Rio de Janeiro, foi preso, na manhã desta terça-feira (24), durante ação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Ele e seu segurança Jeckson Lima Pereira, conhecido como Jeck, são suspeitos do homicídio de Natalino José do Nascimento Espíndola, conhecido como Neto.

O mandado de prisão foi cumprido em operação que está sendo realizada pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ) e pela Delegacia de Homicídios da Capital, com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ). Estão sendo cumpridos 20 mandados de busca e apreensão e três de prisão. Uma terceira pessoa, portanto, ainda está sendo procurada.

De acordo com as investigações, no dia 23 de julho de 2021, Jeck, segurança pessoal de Piruinha, efetuou disparos de arma de fogo que causaram a morte de Neto. O crime de homicídio foi praticado por motivo torpe, uma vez que a vítima teria sido executada como forma de punição pelo fato de não ter pago dívida em dinheiro que tinha com os autores intelectuais do crime, apontados como contraventores da cidade do Rio de Janeiro. 

A vítima foi executada após uma emboscada, com o uso de arma de fogo enquanto se dirigia, a pé, para a loja de veículos que era de sua propriedade, situada na Estrada Intendente Magalhães, região urbana densamente povoada. Dessa forma, o MPRJ afirma que o crime colocou em risco a integridade física e a vida de incontáveis pessoas.

De acordo com o Ministério Público, Piruinha é um notório contraventor da cidade do Rio de Janeiro, e exerce, há décadas, o domínio do jogo do bicho que é explorado em diversas regiões da cidade, em especial nos bairros de Madureira, Abolição, Cascadura, Maria da Graça, Piedade e Inhaúma, dentre outros.

Ainda segundo o MPRJ, Piruinha também arrenda outras áreas para exploração de jogos de azar para outros contraventores, dentre elas as divisas com os bairros de Cascadura, Piedade, Pilares, Abolição, Quintino, Campinho e a divisa com a Praça Seca. A reportagem não conseguiu contato com as defesas de Piruinha e Jeck. O espaço permanece aberto caso queiram se manifestar.

Foto: Reprodução/TV Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.