Ao 34 anos, morre, de Covid, o vereador que criticava uso de máscara

O vereador Thiarles Santos (PSL), de Uberlândia, em Minas Gerais, faleceu em decorrência de complicações causadas pela Covid-19. Aos 34 anos, ele era apoiador do presidente Jair Bolsonaro e criticava publicamente o uso obrigatório de máscara. Ele também já disse que preferia esperar para se vacinar.

“O vereador Thiarles Santos deixou sua história e legado na Câmara Municipal de Uberlândia nestes 7 meses e 20 dias que passou conosco. Como integrante do Poder Legislativo Municipal, o vereador teve como função primordial representar os interesses da população perante o Poder Público, ouvindo o que os seus eleitores e o povo de Uberlândia desejavam, propondo e aprovando esses pedidos na Câmara Municipal e fiscalizando se o prefeito e seus secretários estavam colocando essas demandas em prática”, diz a nota emitida pela família do parlamentar.

O advogado, que estava em seu primeiro mandato, foi internado em agosto em um hospital particular da cidade. Em 4 de setembro, foi intubado. Os pulmões não responderam bem ao tratamento e uma traqueostomia chegou a ser cogitada. No entanto, ele apresentou instabilidade respiratória e faleceu antes de realizar o procedimento.

Em sua rede social, o político fez uma crítica, no mesmo dia em que testou positivo para a doença. “Fim do uso das máscaras. Jamais irei fazer qualquer distinção entre vacinados e não vacinados. Vamos lutar pelo não uso de máscara quando tivermos com 70% de vacinados, ou já tiverem contraído a doença”.

O vereador protocolou na Câmara projeto de lei que diz: “Ar quente dentro da máscara dificulta a respiração e pode desencadear crises respiratórias, como as de asma; se a máscara for apertada, altera padrões respiratórios e causa desconforto”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.